Ligue-se a nós

Atualidade

Vem aí um fim de semana de chuva devido à “Depressão Jorge”

Publicado

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê o regresso da chuva a todo o território continental para este fim de semana e uma descida da temperatura máxima, em especial no Interior.

Assim, para sábado, dia 29, prevê-se períodos de chuva nas regiões Norte e Centro, por vezes forte no Minho e Douro Litoral até ao início da manhã, estendendo-se à região Sul a partir da manhã.

A previsão aponta para que a chuva passe a regime de aguaceiros fracos e pouco frequentes que poderão ser de neve acima de 1.200 metros de altitude.

O vento será por vezes forte no litoral Norte e Centro até ao início da manhã de sábado, sendo moderado a forte nas terras altas, com rajadas até 90 km/h, e enfraquecendo no final do dia. Devido ao vento forte, no sábado, três distritos estarão sob aviso amarelo: Viana do Castelo, Braga e Porto.

O IPMA assinala ainda que a temperatura máxima deverá descer, em especial no Interior, não ultrapassando 12°C em Trás-os-Montes e Beira Alta e atingindo valores entre 15 e 19°C no litoral e região Sul.
No dia seguinte, domingo, o cenário deverá repetir-se, com previsão de períodos de chuva, sendo persistente e por vezes forte a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela e em geral fraca na região Sul. Há também no domingo a possibilidade de queda de neve acima de 1.200 metros de altitude até ao início da manhã.

Atualidade

MAI apela a empresas para facultarem documento que justifique deslocações

Publicado

O ministro da Administração Interna alertou hoje para as restrições de circulação durante o período da Páscoa e por isso apelou às empresas para que facultem aos trabalhadores um documento que justifique as deslocações fora do concelho de residência.

Em conferência de imprensa realizada após a quinta reunião da estrutura de monitorização do estado de emergência, realizada no Ministério da Administração Interna, Eduardo Cabrita disse que, entre os dias 09 e 13 de abril, vai haver “um conjunto de restrições à circulação muito significativas”, sublinhando que, durante este período, “apenas por razões imperiosas de saúde ou de urgência” e de trabalho se pode sair do concelho de residência.

Nesse sentido, apelou às entidades patronais para que preparem um documento que justifique, durante esse período da Páscoa, as deslocações fora do concelho da residência, indicando em que atividade trabalha e qual a razão.

O estado de emergência foi hoje renovado até 17 de abril com mais medidas restritivas, nomeadamente a proibição de grupos na rua com mais de cinco pessoas, além de regras mais apertadas de circulação para o período da Páscoa, como encerramento dos aeroportos e proibição de circulação fora do concelho de residência.

O ministro sublinhou que as polícias municipais vão ter mais poderes, passando atuar numa “cooperação expressa com as forças de segurança”.

O novo decreto do estado de emergência dá também, segundo Eduardo Cabrita, mais poderes às juntas de freguesias, que têm um “papel ativo muito importante” na consciencialização dos portugueses.

O ministro sublinhou que as juntas de freguesia têm agora “competência expressa de aconselhamento, recomendação e comunicação” às forças de segurança de situações de incumprimento.

 

Continue a ler

Populares