Ligue-se a nós

Atualidade

Ucrânia: Putin anuncia “mobilização parcial”

Publicado

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou hoje uma “mobilização parcial” dos cidadãos do país, quando a guerra na Ucrânia está quase a chegar ao sétimo mês do conflito, numa mensagem dirigida à nação.

A medida, que entra já em vigor, obedece à necessidade de defender a soberania e a integridade territorial do país, sublinhou o chefe de Estado russo, na mensagem transmitida pela televisão.

A Rússia, que invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro, está pronta a utilizar “todos os meios” ao seu dispor para “se proteger”, declarou Putin, que acusou o Ocidente de procurar destruir o país.

O anúncio de “mobilização parcial” dos russos em idade de combater abre caminho para uma escalada no conflito na Ucrânia.

“Considero necessário apoiar a proposta [do Ministério da Defesa] de mobilização parcial dos cidadãos na reserva, aqueles que já serviram (…) e com uma experiência pertinente”, declarou.

“O decreto sobre a mobilização parcial foi assinado” e entra hoje em vigor hoje, acrescentou Putin, sublinhando “falar apenas de mobilização parcial”, numa resposta a rumores surgidos nas últimas horas sobre uma mobilização geral.

Perante “a ameaça” que representa, para o Presidente russo, “o regime nazi de Kiev”, apoiado financeira e militarmente pelo Ocidente, Moscovo vai utilizar “todos os meios ao seu dispor para proteger a Rússia” e o seu povo, advertiu Putin, numa alusão às armas nucleares.

“Isto não é um ‘bluff'”, avisou.

“O objetivo do Ocidente é enfraquecer, dividir e destruir a Rússia”, garantiu, através da supressão “dos centros de desenvolvimento soberanos e independentes” no mundo.

“Eles [os ocidentais] dizem abertamente que em 1991 conseguiram desmembrar a União Soviética e que agora chegou a vez da Rússia”, acusou.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.