Ligue-se a nós

Atualidade

Trabalhadores da TST suspendem greve após acordo com empresa

Publicado

Facebook Comissão Trabalhadores TST

Os motoristas da Transportes Sul do Tejo (TST) decidiram hoje suspender a greve de quarta-feira depois de chegarem a acordo com a empresa, aceitando um salário de 700 euros, informou fonte sindical.

“O plenário decidiu aceitar a proposta da empresa, ou seja, 685 euros em julho e agosto, e depois 700 euros a partir de setembro e até ao final do ano”, adiantou à Lusa João Saúde, da Fectrans – Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.

Segundo o sindicalista, a rodoviária da península de Setúbal aceitou ainda negociar sobre o trabalho extraordinário, as diuturnidades e o subsídio de alimentação.

Os motoristas da TST iniciaram hoje uma greve de 48 horas, pelo quarto mês consecutivo, a qual está a registar uma adesão de 95% e a causar supressão de carreiras em toda a península de Setúbal, incluindo as ligações a Lisboa.

O aumento salarial para 750 euros tem sido a principal reivindicação destes trabalhadores, que dizem receber os “ordenados mais baixos” no setor rodoviário na Área Metropolitana de Lisboa.

A TST, detida pelo grupo Arriva, desenvolve a sua atividade na península de Setúbal, com 190 carreiras e oficinas em quatro concelhos: Almada, Moita, Sesimbra e Setúbal.

Atualidade

Empresa de Gaia que promove carne com imagem de mulher vai retirar cartazes

Publicado

Foto: Facebook Carnes Sá da Bandeira

A empresa Carnes Sá da Bandeira, de Vila Nova de Gaia, que lançou uma campanha publicitária onde associava uma mulher de bikini à venda de carne, vai remover os cartazes.

Para promover a carne de vitela branca para assar a empresa associou a imagem de uma mulher em bikini na praia. Por debaixo do “slogan” lê-se: “Para quem prefere o melhor”.

Esta terça-feira, a empresa emitiu um comunicado a explicar que «À semelhança de anos anteriores foram elaborados cartazes alusivos ao verão cuja associação de imagens levou a interpretações que de modo algum ocorreu à empresa. Tendo como máxima que “a nossa liberdade acaba quando começa a liberdade do outro” procedemos de imediato à remoção dos mesmos».

Entretanto o MDM – Movimento Democrático de Mulheres enviou um protesto à Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género. Nas redes sociais, o Movimento defende que “as mulheres não são mercadoria” e critica duramente a campanha.

Continue a ler

Populares