Ligue-se a nós

Desporto

SIC Notícias acaba com programas desportivos com comentadores que representam clubes

A SIC Notícias é o primeiro canal a decidir descontinuar este tipo de programas.

Publicado

A SIC Notícias decidiu descontinuar os programas de desporto que assentam em comentadores que representam clubes, vulgarmente conhecidos como ‘os três grandes’ Benfica/Porto/Sporting, disse hoje à Lusa o diretor de informação da Impresa, Ricardo Costa.

Os dois programas da grelha da SIC Notícias – “Play Off” e “Dia Seguinte” – terminam “na próxima semana”, adiantou.

“Vamos ter um modelo diferente à segunda-feira e outro ao domingo, ainda estamos a reorganizar as grelhas”, disse Ricardo Costa, quando questionado sobre que tipo de programas vão substituir o “Play Off” e o “Dia Seguinte”.

“A pandemia podia ter ajudado a que os agentes do futebol percebessem bem a situação em que o futebol, como toda a sociedade se encontra, mas infelizmente não foi isso que aconteceu. Ou seja, o regresso do futebol voltou ainda pior do que estava antes em termos de guerra entre os clubes”, salientou Ricardo Costa.

“Esse ambiente de toxicidade que se foi criando à volta deste tipo de programas, e para o qual contribui muito os próprios clubes e as suas máquinas de comunicação, coloca-nos perante uma situação de que chegou a altura de terminar este tipo de programas na SIC Notícias”, explicou o diretor de informação da Impresa.

O “Dia Seguinte”, que é um programa de 2003, e o “Play Off”, de 2014, são “dois programas importantíssimos na história da SIC Notícias e nos seus resultados, mas achamos que temos de dar o salto em frente e continuar a acompanhar o desporto e o futebol de outra forma, mais com jornalistas e comentadores”, acrescentou.

Ricardo Costa sublinhou que o fim do “Dia Seguinte” e do “Play Off” “não tem nada a ver com os comentadores em si”, mas com o “ambiente que se criou à volta deste tipo de programas”.

COMENTÁRIOS

Desporto

Euro2020: Portugal decide passagem aos ‘oitavos’ com a França esta noite

Publicado

A seleção portuguesa de futebol decide hoje o futuro no Euro2020, sendo certo que se pontuar diante da França, em Budapeste, na terceira jornada do Grupo F, garante a passagem aos oitavos de final da competição.

De regresso à Puskas Arena, onde se estrearam na prova com um triunfo sobre a Hungria (3-0), os campeões europeus defrontam os campeões do mundo a partir das 20:00 (hora de Lisboa), à mesma hora a que a Alemanha defronta os húngaros, em Munique.

À entrada para a terceira e derradeira partida do Grupo F, Portugal ocupa o terceiro lugar, com três pontos, os mesmos dos alemães, que subiram ao segundo posto após o triunfo sobre a equipa das equipas (4-2), e menos um do que os franceses, que lideram e já ‘carimbaram’ a passagem, enquanto os húngaros seguem em último, com um.

A qualificação de Portugal para os ‘oitavos’ fica garantida em caso de empate ou vitória sobre os gauleses e mesmo uma derrota por dois golos de diferença também colocará a formação lusa na próxima fase, como um dos quatro melhores terceiros classificados, desde que a Hungria não vença a Alemanha.

Para o duelo com a França, a seleção nacional apenas não poderá contar com o lateral Nuno Mendes, a contas com problemas musculares, o que faz com que o selecionador Fernando Santos tenha à disposição 25 jogadores para a ‘decisão’ em Budapeste.

Portugal e França jogam a partir das 20:00, na Puskas Arena, na capital magiar, em encontro da terceira jornada do Grupo F do Euro2020, que será dirigido pelo espanhol Antonio Mateu Lahoz.

No Grupo E, a Espanha, campeã em 2008 e 2012, é terceira, com dois pontos, e está obrigada a vencer a Eslováquia, terceira com três, para não depender de terceiros para se apurar. Um empate apura a Eslováquia e pode apurar a Espanha, se a Polónia não vencer a Suécia.

Já apurada, a Suécia, que lidera com quatro pontos, tenta assegurar a vitória no grupo, enquanto a Polónia, treinada por Paulo Sousa e que é última com um ponto, apenas se apura com um triunfo.

O Euro2020, que foi adiado para este ano devido à pandemia de covid-19, decorre até 11 de julho, em 11 cidades de 11 países diferentes.

Continue a ler

Populares