Ligue-se a nós

Atualidade

Recluso mais velho do país vai cumprir pena num lar de Lisboa

Manuel confessou o crime e cumpria pena no Estabelecimento Prisional de Lisboa.

Publicado

O recluso mais velho do país, que aos 89 anos foi condenado a quatro anos e nove meses de prisão por ter morto o genro, a quem culpava pela morte da filha, vai cumprir pena num lar da Santa Casa da Misericórdia, avança o Correio da Manhã.

Manuel Garcia confessou ter morto a tiro o marido da filha, que se tinha suicidado num alegado cenário de violência doméstica. Saiu da prisão e foi transferido para um lar na terça-feira, onde deve utilizar uma pulseira eletrónica.

António Veríssimo foi morto pelo sogro, Manuel Garcia, na noite de 6 de julho de 2018, quatro anos depois da morte da mulher. A vítima era acusado de violentar a mulher, algo que a terá levado a tirar a própria vida. No entanto, as versões são contraditórias, já que os jornais locais noticiaram a morte da mulher como tendo acontecido na sequência de um ataque cardíaco. Ainda assim, Manuel sempre culpou o genro pela morte da filha e quis vingar-se.

Após a morte da filha, António Veríssimo mudou-se para a casa dos sogros e a relação começou a deteriorar-se ainda mais. Manuel e a mulher, que está acamada por causa de um cancro, seriam vítimas de “grande agressividade verbal e mesmo física”. Foi essa a motivação para que o homem de 89 anos disparasse dois tiros de caçadeira que vitimaram António Veríssimo.

Atualidade

Desfile de crianças para adoção no Brasil gera polémica

O evento é organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, num centro comercial de Cuiabá.

Publicado

Foto: Twitter Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso

Crianças e adolescentes aptos para adoção, dos quatro aos 17 anos e devidamente produzidos, desfilaram num evento organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, num centro comercial de Cuiabá, no Mato Grosso, mas a ação está a gerar polémica.

Segundo avança a imprensa brasileira, os jovens desfilaram para os eventuais pais adotivos.

O evento tem o nome “Adoção na Passarela” e já foi comparado por internautas a uma “feira de adoção” ou a uma “vitrine”, para além também de se referirem ao evento como um “desfile para animais de estimação”.

Em jeito de defesa, a presidente da Comissão de Infância e Juventude, Tatiana Ramalho, sublinhou, de acordo com o jornal Globo, que “o objetivo é dar visibilidade a essas crianças e a esses adolescentes que estão aptos para adoção”.

 

Continue a ler

Populares