Ligue-se a nós

Música

Quem é Conan Osíris?

Publicado

Foi o candidato mais votado pelo público na primeira semifinal do Festival da Canção, mas para muitos portugueses é um músico desconhecido.

Segundo o DN, cresceu entre Lisboa e o Cacém, foi maioritariamente criado por mulheres, e as manhãs de sábado ficaram-lhe gravadas na memória com a mãe a aspirar a casa enquanto ouvia Amália, kizomba ou a dupla Leandro e Leonardo. Cresceu depois a ouvir hip hop na MTV e, mais tarde, a descobrir nomes como Björk.

Conan Osiris, nome artístico de Tiago Miranda, inspirado na série pós-apocalítica Conan, o Rapaz do Futuro, de Hayao Miyazaki, já dava que falar antes de ser convidado para a edição de 2019 do Festival da Canção. Apareceu com a sua música difícil de classificar, entre techno, fado, algo de António Variações e outro tanto de oriental.

Na primeira semifinal viu-se apurado para a final de dia 2 de março do Festival da Canção em segundo lugar, depois de Matay, e seguido por Calema, e D’Alva/Ana Cláudia. Conan Osiris foi o candidato com mais votos do público. O vídeo do YouTube da canção que levou ao festival, “Telemóveis”, já conta mais de um milhão e meio de visualizações.

O visual é excêntrico, a postura determinada e nunca falta o fiel bailarino João Reis Moreira.

Celulite, Adoro Bolos ou Borrego ​​​​​​​são alguns dos seus temas mais populares.

Música

Câmara de Amares atribui “medalha de ouro” a António Variações

António Variações nasceu em Fiscal, Amares, a 3 de dezembro de 1944 e morreu em Lisboa em 13 de junho de 1984.

Publicado

Foto: Facebook António Variações

A Câmara de Amares, no distrito de Braga, atribuiu, a título póstumo, a medalha municipal de mérito, grau ouro, a António Variações, o cantor natural da freguesia de Fiscal.

A proposta, aprovada por unanimidade, refere que António Variações “orgulha e envaidece” o concelho, “projeta” o município e “gratifica” as suas gentes.

A medalha municipal de mérito é, assim, atribuída no ano em que António Variações faria 75 anos.

“De grande tenacidade e vontade determinada, destacou-se em vida pela sua criatividade e pelo seu pensamento livre. Depois da sua morte, transformou-se num símbolo de liberdade, de criatividade e de determinação”, refere ainda a proposta.

No dia 22 de agosto vai estrear o filme “Variações”, sobre a vida e obra do cantor. A realização é de João Maia.

Continue a ler

Populares