Ligue-se a nós

Atualidade

Praça do Comércio com trânsito cortado a partir das 17:00 de terça-feira devido ao Ano Novo

Publicado

O trânsito de acesso à Praça do Comércio, em Lisboa, vai estar cortado a partir das 17:00 de terça-feira devido aos festejos de Ano Novo, estando previstos nove pontos de entrada com revista.

De acordo com a comissária Sofia Gordinho, do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, o dispositivo montado “será semelhante ao do ano anterior”, sendo esperadas no recinto ‘fechado’ entre 200 e 250 mil pessoas.

“A Praça do Comércio vai ser tratada como recinto fechado. O perímetro será fechado recorrendo ao mobiliário urbano e gradeamento, com sistemas que vão acautelar a não entrada de viaturas no terreno”, frisou Sofia Gordinho numa conferência de imprensa realizada hoje no comando metropolitano, em Moscavide, concelho de Loures, vizinho ao de Lisboa.

Escusando revelar o número de efetivos no terreno, a comissária avançou que o dispositivo é “considerado adequado em relação ao evento em si, semelhante ao do ano passado”, e terá várias valências, incluindo agentes de intervenção rápida, corpo de intervenção e unidades cinotécnicas.

De acordo com a responsável, a baixa da cidade de Lisboa irá contar também com o sistema de videovigilância, que “permite visualizar as massas dando ajuda, no momento, à deslocação de meios para o bom desenvolver do policiamento”. Não está previsto o uso de drones.

Sofia Gordinho acrescentou que, sendo um dos pontos altos da festa o fogo de artifício, é recomendado que as pessoas “se espalhem pela Ribeira das Naus para assistir” e não se concentrem num só ponto.

“Quem vier só a esta parte da festa, ao fogo de artifício, que saia depois da Praça do Comercio pela Ribeira das Naus ou para o lado contrário, Cais do Sodré”, disse.

Já quem entre no espaço para assistir à segunda parte da festa, com concertos, deve entrar pelo Rossio.

À semelhança dos anos anteriores, não vai ser permitida a entrada no recinto de garrafas e copos de vidro, bem como chapéus de chuva com hastes compridas, megafones, mochilas de tamanho superior a A3, apontadores de laser, ‘selfie sticks’ ou buzinas de ar comprimido.

Estão instalados nove pontos de acesso com revista que ficam localizados junto à Agência Europeia Marítima, Cais do Sodré, Praça Duque da Terceira, rua do Arsenal, rua do Ouro, rua Augusta, rua da Prata e rua dos Fanqueiros.

Em relação aos cortes no trânsito, o comissário Luis Gancho reiterou que a partir das 17:00 de terça-feira há impossibilidade de passagem ao trânsito em todas as vias conducentes à Praça do Comércio, sendo o viaduto de Santa Apolónia o primeiro ponto a ser cortado totalmente.

“Trata-se de criar um perímetro de uma zona gigantesca pedonal. Como nos últimos anos, esperamos que o fluxo de pessoas a pé, através dos transportes, invada toda a zona destinada ao trânsito, sendo a principal preocupação isolar o local”, explicou.

Os cortes de trânsito acontecem na Avenida 24 de Julho com a D. Carlos I, Rua de São Paulo, Praça Duque da Terceira/Cais do Sodré, Rua do Arsenal, Avenida Infante D. Henrique, Rua da Alfandega, Rua Vitor Cordon, Restauradores Sul, Rossio, Praça da Figueira e Rua da Conceição.

Já hoje, a Avenida Ribeira das Naus vai estar encerrada entre as 20:30 e as 00:30, devido ao concerto do músico português José Cid, promovido pela EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural da Câmara de Lisboa.

Na última noite de 2019, o Terreiro do Paço vai acolher os concertos de “duas das maiores bandas do pop rock português”: Xutos&Pontapés e Ornatos Violeta.

À meia-noite haverá o tradicional espetáculo de fogo de artifício, de 15 minutos, que vai ser lançado entre o rio Tejo e o Terreiro do Paço.

Atualidade

Portugal regista mais três mortes e 157 casos de infeção por covid-19

Publicado

Portugal regista esta segunda-feira mais três mortes pela covid-19 e 157 novos casos de infeção.

Em 24 horas, o número de casos aumentou assim em 0,3%. No total, foram registados desde o início da pandemia 1759 óbitos e foram confirmados 52.825 casos.

Os dados divulgados no boletim epidemiológico diário desta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) apontam ainda que 99 novos casos (63%) foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo. Na mesma região, registaram-se as três vítimas mortais.

Continue a ler

Populares