Ligue-se a nós

Atualidade

Portugueses tencionam gastar cerca de 400 euros este Natal

Publicado

As famílias portuguesas contam este ano com quase 400 euros em média para as compras de Natal, mais nove euros em relação ao ano passado, com o dinheiro a ser distribuído por prendas, refeições, eventos e viagens, de acordo com um estudo da Deloitte.

Em média, cada agregado deverá gastar 387 euros, com os presentes a consumirem a maior fatia do orçamento (41%), tal como em 2018, seguidos da alimentação.

Excluindo as viagens, o orçamento cai para os 306 euros, segundo um Estudo de Natal 2019 da consultora Deloitte. Ou seja, não só não aumenta como fica oito euros abaixo da despesa realizada no ano passado.

Portugal continua a apresentar-se como um dos mais países mais otimista; apenas 26% dos portugueses consideram que a situação económica do país é negativa, contra 83% em 2012, no pico da crise económica e financeira. De entre os oito países em análise, Portugal é o que regista um índice de confiança económica mais elevado, com 72% dos inquiridos a considerar que a economia nacional é estável ou está em crescimento.

Ainda assim, o orçamento para o Natal é menos de metade do que estava a ser gasto antes da crise, o que para a consultora afasta um regresso aos níveis de despesa de 2008/2009.

Atualidade

Portugal excluído de “corredores” pelo Reino Unido continua sujeito a quarentena

Publicado

Aeroporto Viajar

Portugal foi excluído dos “corredores de viagem internacionais” com destinos turísticos que o Reino Unido vai abrir para permitir aos britânicos passarem férias sem cumprir quarentena no regresso, foi hoje confirmado.

Portugal, onde foram identificados vários surtos localizados de covid-19 nas últimas semanas, não está na lista de 59 países e territórios hoje publicada, que inclui Espanha, Alemanha, Grécia, Itália, Macau ou Jamaica.

“Esta lista poderá ser aumentada nos próximos dias, após discussões adicionais entre o Reino Unido e parceiros internacionais”, refere-se o ministério dos Transportes britânico.

Continue a ler

Populares