Ligue-se a nós

Atualidade

PM diz que é preciso lutar “pela economia, pelo emprego e pelo rendimento”

Publicado

António Costa defendeu hoje que a retoma da atividade económica deve ser feita com “cautela”, para não se perder o conquistado, mas sublinhou que é preciso dar este passo para evitar uma “crise económica e social brutal”.

“Com a mesma determinação com que soubemos conter-nos em casa, temos de fazer o esforço de sustentar empresas, emprego e rendimento, porque sem empresas, emprego e rendimento a economia não cresce, não vive, e a sociedade definha. Se não foi a doença que deu cabo de nós, também não pode ser a cura que dá cabo de nós”, afirmou Costa.

O primeiro-ministro falava aos jornalistas após uma visita à Flex2000, em Ovar, no distrito de Aveiro, acompanhado pelo Presidente da República,  pelo ministro da Economia,  e pelo ministro da Administração Interna.

Apesar dos riscos, António Costa realçou que, nesta altura, é preciso lutar “pela economia, pelo emprego e pelo rendimento” para que o país não venha a enfrentar uma “crise económica e social brutal”.

“Sinto que muitas pessoas têm ainda receio de sair à rua, de se aproximar dos outros, de tocar em objetos onde outros podem ter tocado, e podem ser contaminados. Todos temos medo e eu não sou mais valente que ninguém. Agora, se não dermos esse passo em frente, vamos manter não só a pandemia, como depois a pandemia vai começando a contaminar tudo o resto”, disse Costa.

Atualidade

Já pode ir ao cinema a partir de segunda-feira

Publicado

Ao fim de mais de dois meses, os teatros e as salas de espetáculo e de cinema poderão reabrir com “lugares marcados, todas as filas ocupadas” e “um lugar de intervalo entre os espectadores, exceto se forem coabitantes”, disse hoje a ministra da Cultura à agência Lusa.

O uso de máscara  vai ser obrigatório para o público e tem de haver “higienização dos espaços entre espetáculos ou sessões”.

No caso dos teatros, terá de ser garantida “uma distância de dois metros entre a boca de cena e a primeira fila” e “os corpos artísticos e equipas técnicas não têm de usar Equipamento de Proteção Individual [EPI] em palco, mas sim à entrada e saída de palco”.

As regras mudam em relação aos eventos culturais ao ar livre. Nesse caso, “não é obrigatório o uso de máscara” pelo público.

O espaço onde decorrer o evento, como uma praça ou um parque, “tem de ter delimitações”, assim como têm de ser “assinalados os locais onde as pessoas devem estar (podem ser marcações no chão, bancos, cadeiras)” e tem de haver “1,5 metros de distância entre as pessoas”, ou grupos de coabitantes.

A reabertura de salas de espetáculos, teatros e cinemas, bem como a retoma de eventos culturais ao ar livre está prevista na terceira fase do “Plano de Desconfinamento” do Governo.

As regras gerais de reabertura, que pode acontecer a partir de segunda-feira, foram definidas pelo Ministério da Cultura “em diálogo com a Direção-Geral de Saúde”.

Lusa

Continue a ler

Populares