Ligue-se a nós

Atualidade

Perderam? Voltam para casa a pé…

Publicado

O Lusitânia de Lourosa foi eliminado na 1.ª eliminatória da Taça de Portugal, após derrota no terreno do vizinho São João de Ver (0-1). Não se sabe por castigo imposto ou por decisão conjunta, o que é certo é que no final, os jogadores voltaram a casa a… pé.

Surgiram versões contraditórias sobre o motivo. Uns apontam para que foram os próprios jogadores e equipa técnica a decidirem fazer a viagem de regresso a casa (cerca de cinco quilómetros) a pé. Porém, relatos apontam também para um castigo imposto pelo presidente Hugo Mendes. A verdade é que, quando os jogadores saíram do balneário, o autocarro do clube já tinha deixado as instalações do S. João Ver.

O esforço ou castigo só não foi maior porque se tratou de uma viagem a um clube vizinho. Se o Lourosa tivesse ido jogar ao Algarve ou a Lisboa teria sido bem pior.

Publicidade

COMENTÁRIOS

Atualidade

PAN afirma que Governo pondera confinamento geral em dezembro

Publicado

O PAN afirmou hoje que o Governo pondera decretar confinamento geral na primeira quinzena de dezembro para preservar o período de Natal, mas adiantou que essa medida não é certa e requer vigência do estado de emergência.

Esta eventual medida a tomar pelo Governo foi transmitida aos jornalistas pelo porta-voz do PAN (Pessoas Animais Natureza), André Silva, no final da reunião com o primeiro-ministro, António Costa, destinada a discutir medidas de combate à covid-19 que possam sair do Conselho de Ministros extraordinário deste sábado.

André Silva disse que a possibilidade de se repetir um confinamento geral, tal como aconteceu em março e abril, durante a primeira metade de dezembro, “foi aflorada em termos de fim de gradualismo, ou como uma medida mais restritiva”.

“Na opinião do primeiro-ministro, se for o caso, essa medida procura antecipar ou prever aquilo que poderá ser um impacto enorme ao nível do Natal, fazendo com que as pessoas fiquem mais consciencializadas e reduzam os contactos. É preciso que se chegue ao Natal com a possibilidade de juntar a família”, justificou.

Continue a ler

Populares