Ligue-se a nós

Atualidade

Operação Marquês: Sócrates justifica gastos em viagens com herança de 5ME da mãe

Publicado

José Sócrates

O ex-primeiro-ministro José Sócrates disse hoje, na fase de instrução da Operação Marquês, que a sua mãe recebeu uma herança, tendo-lhe dado parte do dinheiro que gastou em viagens, afirmou à Lusa fonte ligada ao processo.

Segundo a mesma fonte, Sócrates justificou ao juiz Ivo Rosa, no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, que a mãe tinha dinheiro porque nos anos 80 tinha recebido uma herança de um milhão de contos (cinco milhões de euros) e que lhe doou parte desse dinheiro, cerca de 10 mil euros, para cada uma das viagens de lazer que fez enquanto primeiro-ministro e posteriormente.

Sobre a casa que habitou em Paris, enquanto estudava e que o Ministério Público acredita ser sua propriedade, o ex-governante insiste em dizer que o imóvel é do seu amigo e também arguido Carlos Santos Silva e que nem sequer lhe deu conselhos sobre as obras de remodelação, contrariando a acusação.

Quanto aos empréstimos bancários que fez na Caixa Geral de Depósitos, Sócrates, indicou a fonte, referiu que fez um de 120 mil euros que lhe permitiu viver e estudar um ano em Paris e que as despesas do segundo ano foram suportadas com os mais de 400 mil euros que a mãe lhe deu depois da venda da casa na Rua Braamcamp, em Lisboa, a Carlos Santos Silva.

No final de cinco dias de interrogatório, no total de perto de 30 horas, José Sócrates voltou hoje a sair do tribunal satisfeito, dizendo aos jornalistas que todos os assuntos foram falados e que “não ficou pedra sobre pedra da acusação”.

“Estou satisfeito, foi muito exaustivo, percorremos todos os assuntos e não ficou pedra sobre pedra da acusação”, declarou.

No final do mês é a vez de Carlos Santos Silva ser interrogado na fase de instrução, que funciona como um mecanismo de controlo jurisdicional da acusação do Ministério Público e que termina com a decisão do juiz de levar ou não a julgamento os arguidos e os termos em que isso acontece.

A Operação Marquês teve início em julho de 2013 e culminou na acusação a 28 arguidos — 19 pessoas e nove empresas — a 11 de outubro de 2017 pela prática de 188 de crimes económico-financeiros, entre os quais corrupção e branqueamento de capitais.

Sócrates, que esteve preso preventivamente e em prisão domiciliária, está acusado de 31 crimes económico-financeiros.

Atualidade

A gripe já fez triplicar idas aos hospitais e centros de saúde

Publicado

Hospital Saúde Médico

A corrida aos serviços de saúde está a ocorrer mais cedo do que no ano passado, sobretudo no norte do país.

Na primeira semana de dezembro, houve 1572 atendimentos nos cuidados primários por síndrome gripal face a 538 registados na mesma semana de 2018.

Nos hospitais, na última semana de novembro (últimos dados disponíveis), a procura dos serviços de urgência por síndrome gripal mais do que triplicou (103 episódios em 2018 para 358 em 2019), revela a monitorização da gripe da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte.

A região já tem mais de 60 centros de saúde com horário alargado à noite e aos fins de semana para responder à afluência crescente.

Continue a ler

Populares