Ligue-se a nós

Atualidade

O que muda a partir de domingo

Publicado

A limitação da circulação na via pública aplicada aos concelhos de maior risco de incidência de covid-19 vai deixar de ser aplicada a partir do próximo domingo, 01 de agosto, anunciou hoje o primeiro-ministro.

“Já a partir do próximo domingo, o fim da limitação horária da circulação na via pública”, afirmou António Costa, em conferência de imprensa, após a reunião do Conselho de Ministros, em Lisboa.

No âmbito da atualização do mapa de risco realizada na semana passada, em 22 de julho, 116 dos 278 concelhos de Portugal continental (41,7%) estavam em risco elevado (55) ou muito elevado (61) de incidência de covid-19, ficando sujeitos a medidas mais restritivas, inclusive dever de recolhimento, diariamente, entre as 23:00 e as 05:00.

O primeiro-ministro anunciou que as restrições de horários no comércio e restauração acabam em 01 de agosto, mantendo-se a obrigatoriedade de uso de certificado digital em espaços interiores aos feriados e fins-de-semana.

Os equipamentos de diversão, como carrosséis e jogos itinerantes, podem começar a trabalhar a partir de domingo em todos os concelhos do país.

De acordo com o primeiro-ministro, os equipamentos de diversão podem funcionar a partir do próximo domingo desde que cumpram as regras da Direção-geral da Saúde (DGS) e “em local autorizado pelo município”.

Esta atividade está incluída nas medidas que fazem parte da primeira de três fases de libertação das atividades económicas, que começa em 01 de agosto e que têm em consideração a percentagem de vacinação da população portuguesa.

Entre as medidas que entram domingo em vigor está a possibilidade de realização de casamentos e batizados com uma lotação de 50%; restaurantes, comércio e espetáculos podem ter horários normais.

De fora das medidas que entram em vigor já em agosto ficam a realização de festas e de romarias.

O primeiro-ministro  anunciou  ainda  que o teletrabalho deixa de ser obrigatório a partir de domingo, no âmbito de uma nova fase de alívio de restrições associadas à pandemia de covid-19.

“O teletrabalho passará de obrigatório a recomendado em todas as atividades em que seja possível utilizar o teletrabalho”, disse o chefe do Governo.

Segundo o primeiro-ministro, a abolição da obrigatoriedade do teletrabalho enquadra-se na primeira de novas três fases de libertação de atividades, na qual se inclui, por exemplo, o fim da limitação horária de circulação na via pública.

A utilização de máscara na via pública deixará de ser obrigatória a partir de setembro, exceto em situações de ajuntamentos, segundo o novo plano de desconfinamento apresentado pelo primeiro-ministro.

Atualidade

Nove mortes, 757 novas infeções e menos internados nas últimas 24 horas

Publicado

Portugal registou nas últimas 24 horas nove mortes atribuídas à covid-19, 757 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e uma redução nos internamentos em enfermaria.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), estão hoje internadas 410 pessoas com covid-19, menos duas do que na quinta-feira, 76 das quais em unidades de cuidados intensivos, mais uma do que na véspera.

As mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo (2), na região Centro (4), no Alentejo (2) e no Algarve (1).

Relativamente às idades das vítimas mortais, cinco tinham mais de 80 anos, três entre os 70 e os 79 anos e uma entre os 40 e os 4 anos.

Continue a ler

Populares