Ligue-se a nós

Atualidade

Novos casos diários com novo máximo desde fevereiro

Publicado

Portugal regista hoje 1.746 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, o número mais alto de novas infeções desde fevereiro, seis mortos com covid-19 e menos 10 pessoas internadas.

Desde o dia 19 de fevereiro, quando se registaram 1.940 contágios, que o número de novos casos diários não era tão elevado.

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) regista que estão hoje internadas 492 pessoas com covid-19, menos 10 do que na segunda-feira, 119 das quais em unidades de cuidados intensivos, onde deram entrada mais quatro pessoas nas últimas 24 horas.

A área de Lisboa e Vale do Tejo tem 55 por cento do total das novas infeções, concentrando 965 novos casos.

Cinco mortes atribuídas à covid-19 nas últimas 24 horas ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo e uma na região Norte.

Os dados divulgados pela DGS mostram também que há mais 63 casos ativos, totalizando 32.134 e que 1.677 pessoas foram dadas como recuperadas nas últimas 24 horas, o que aumenta o total nacional para 827.969 recuperados.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 17.092 pessoas e foram registados 877.195 casos de infeção.

O número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde subiu em 1.058, totalizando 51.109.

A incidência da infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 em Portugal continental está nos 161,7 casos por 100.000 habitantes, e na totalidade do território é 158,5, indicam os dados oficiais.

Na sexta-feira, a incidência da infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 em Portugal continental estava nos 138,7 casos por 100.000 habitantes, enquanto o valor para a totalidade do território se situava nos 137,5.

De acordo com o boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), o índice de transmissibilidade (Rt) registou na segunda-feira uma descida de 1,14 para 1,13 em todo o território nacional e de 1,15 para 1,14 em Portugal continental.

Os dados do índice de transmissibilidade e da incidência a 14 dias são atualizados à segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo contabilizam-se até agora 338.702 casos e 7.260 mortes atribuídas à covid-19.

A região Norte tem hoje 361 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 345.390 casos de infeção e 5.365 mortes desde o início da pandemia.

Na região Centro registaram-se mais 152 casos, acumulando-se 121.883 infeções e 3.027 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 30 casos, totalizando 30.933 infeções e 972 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve o boletim de hoje revela que foram registados 180 casos, acumulando-se 24.235 infeções e 365 mortos.

A região Autónoma da Madeira registou 11 casos, somando 9.908 infeções e 69 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm hoje 47 novos casos, contabilizando 6.144 casos e 34 mortos desde o início da pandemia.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 477.082 mulheres e 399.662 homens e, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 451 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Atualidade

Programa Apoiar reforça apoios para empresas encerradas devido à pandemia

Publicado

A alteração ao regulamento do programa Apoiar determina novos apoios para as empresas que se mantêm encerradas devido à pandemia de covid-19, designadamente bares e discotecas, anunciou hoje o Governo.

Numa nota enviada às redações, o gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, destaca que “este reforço da liquidez” se traduz “numa duplicação do apoio extraordinário já atribuído, correspondente ao valor do incentivo apurado referente ao último trimestre de 2020”.

A medida visa “melhorar as condições de tesouraria das empresas para fazerem face aos compromissos de curto prazo, contribuindo para a sua subsistência durante e após o surto pandémico”, é salientado no comunicado.

O gabinete de Siza Vieira refere que, no caso das empresas com quebras de faturação entre os 25% e os 50%, “o reforço do apoio pode atingir os 13.750 euros para as microempresas e os 33.750 euros para as pequenas, médias e grandes empresas”.

“Caso as quebras tenham sido superiores a 50%, o apoio pode ascender a 20.625 euros ou 50.625 euros, respetivamente”, é acrescentado.

A alteração ao regulamento do programa Apoiar aplica-se retroativamente às candidaturas que já foram aprovados e o ajustamento dos valores a receber será feito de forma automática, depois de confirmadas as condições de acesso, explica o Governo.

Lusa

Continue a ler

Populares