Ligue-se a nós

Atualidade

Noventa por cento das frentes do fogo de Vila de Rei dominado

Publicado

Incendio floresta

As duas frentes do incêndio que deflagrou no sábado em Vila Rei estão dominadas em 90% e os restantes 10% “estão a arder e a carecer de muita atenção”, de acordo com a proteção civil.

“[O fogo] tem um perímetro ativo de 10%, com chama. Foi feito um esforço durante a noite por parte de todos os efetivos no teatro de operações. Todo o efetivo está concentrado”, avançou o comandante do Agrupamento Distrital do Centro Norte, Pedro Nunes, no primeiro ponto de situação feito esta manhã.

Na conferência de imprensa das 08:00, Pedro Nunes afirmou que neste momento o fogo “desenvolve-se de forma branda” e “não há casas em risco”, mas existe um “plano B” caso se registe de novo uma situação como a ocorrida no domingo à tarde com a direção e a intensidade do vento.

Prevendo “um dia difícil”, o comandante afirmou que, durante a manhã vai ser feito um esforço para “maximizar o tempo para percorrer a maior quantidade de território possível com máquinas de rasto para tapar as linhas de fogo”.

Assim, ao longo do dia, o combate vai ter “dois tempos”, o da manhã, com vento de leste fraco e a preocupação colocada no “flanco direito” das duas frentes de fogo, uma no concelho de Vila de Rei e outra no de Mação.

Para a tarde, a previsão de rajadas 35 de quilómetros/hora, de noroeste, colocará a atenção no flanco esquerdo, em particular nas localidades de Chaveira, Chaveirinha e Casais de São Bento (Mação) e Vergão (Proença a Nova), onde vão ser posicionados meios da GNR e da Segurança Social, para o caso de vir a ser necessário proceder à sua evacuação.

Atualidade

PAN apela à intervenção de Marcelo e Costa na crise ambiental na Amazónia

Publicado

O PAN apelou hoje ao Presidente da República e ao primeiro-ministro que intervenham na crise ambiental na Amazónia, chamando os embaixadores do Brasil, Paraguai e Bolívia, e levando o possível congelamento de acordo com o Mercosul ao Conselho Europeu.

O eurodeputado do PAN (Pessoas-Animais-Natureza), Francisco Guerreiro, faz um conjunto de apelos em duas cartas abertas dirigidas ao chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, e ao líder do executivo, António Costa.

Francisco Guerreiro pede a Marcelo Rebelo de Sousa que garanta “que, na próxima visita oficial do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, a Portugal, agendada para o início de 2020, os tópicos do desmatamento, da destruição da biodiversidade e da selva amazónica, da perseguição a ativistas ambientais, tal como a tentativa de usurpação de terras demarcadas indígenas, sejam prioritários na agenda bilateral”.

O deputado europeu quer também que o Presidente português chame o representante diplomático do Brasil e esclareça qual a posição oficial daquele país “relativamente ao cumprimento do Acordo de Paris e ao princípio do desmatamento zero”.

O PAN quer ainda que Marcelo solicite junto do secretário-geral da ONU, António Guterres, “os meios científicos, diplomáticos e financeiros que garantam a rápida e urgente elaboração de um roteiro internacional para a regeneração da floresta amazónica e que proactivamente incluam o Brasil, o Peru, a Colômbia, a Venezuela, o Equador, a Bolívia, a Guiana, o Suriname e a Guiana Francesa no centro deste roteiro”, assim como assegurar “junto das instituições europeias e dos países da CPLP o apoio a este roteiro internacional”.

Ao primeiro-ministro, o eurodeputado pede-lhe que convoque com urgência “os embaixadores do Brasil, do Paraguai e da Bolívia em Portugal para tomar conhecimento e discutir as ações que estão a ser tomadas pelos seus governos em relação aos atuais incêndios, ao desmatamento decorrente e à destruição generalizada da floresta amazónica”.

Francisco Guerreiro pretende ainda que António Costa garanta que, na próxima reunião do Conselho Europeu, a 10 e 11 de outubro, seja incluída na ordem de trabalhos “o congelamento, por tempo indeterminado, da implementação do Acordo Transnacional da União Europeia com o Mercosul”.

 

Com Lusa

Continue a ler

Populares