Ligue-se a nós

Atualidade

Novas ambulâncias do INEM ficam às escuras após avaria

Publicado

Das 20 novas ambulâncias do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) nove estão paradas e cinco ficaram às escuras após uma avaria elétrica, relata o “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta terça-feira.

“As cinco ambulâncias [com avaria elétrica] estão a ser alvo de uma intervenção por parte da marca Iveco, revendo o sistema de sinalização de emergência que tem apresentado algumas anomalias”, explicou o INEM ao JN.

Os veículos em causa haviam sido entregues ao instituto no passado mês de abril. Contudo, as sirenes e as luzes de emergência desligam-se em andamento e a célula sanitária (onde viaja o utente e o técnico) fica sem energia para alimentar os dispositivos médicos.

Ao mesmo jornal, o vice-presidente do Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar confirmou que a entidade recebeu “queixas diárias” por causa de ambulâncias com avarias. Rui Lázaro adiantou ainda que no Norte as viaturas com problemas estão a ser substituídas por outras “muito desgastadas”.

Atualidade

Estados europeus não têm feito o suficiente pelos direitos das crianças diz PGR

Publicado

A Procuradora-Geral da República defendeu hoje que a ação dos Estados europeus em defesa dos direitos das crianças tem sido insuficiente.

Lucília Gago alertou para a “incerteza” criada pela pandemia em “aspetos da vida das crianças que se tinham por adquiridos”.  São declarações da PGR, no 13.º Fórum Europeu dos Direitos da Criança.

Na sua intervenção, Lucília Gago defendeu a necessidade de uma estratégia europeia sobre os direitos da criança, que “permitirá uma visão coletiva do desafio há muito em curso”, eleger áreas de atuação essenciais e definir prioridades “com um maior nível de rigor”.

“Para acabar com a violência e operar mudanças positivas na vida das crianças será necessário começar a agir desde a primeira infância. Os Estados-membros precisam de uma estratégia que defina políticas integradas de desenvolvimento desde a primeira infância”, afirmou a PGR.

Continue a ler

Populares