Ligue-se a nós

Atualidade

Nova linha de metro em Gaia suprime rotundas e cria ciclovias na VL8 – projeto

Publicado

Metro do Porto

O projeto da construção da Linha Rubi do Metro do Porto prevê a reformulação da VL8, em Gaia, que inclui a supressão das rotundas na via e a criação de ciclovias entre a rotunda Edgar Cardoso e a Arrábida.

“As ciclovias e passeios previstos para a nova ponte sobre o rio Douro terão continuidade ao longo da VL8 (Avenida Eng.º Edgar Cardoso), possibilitando o acesso ao Arrábida Shopping e à rede viária envolvente, sendo prevista a construção de uma passagem pedonal superior sobre a VL8 que garantirá estas acessibilidades”, pode ler-se nos documentos do projeto da Linha Rubi, consultados pela Lusa, que ainda poderão ser alterados no âmbito do concurso público, que a Metro do Porto prevê lançar em 17 de março.

Em causa está o trajeto do metro da futura Linha Rubi entre as estações Arrábida e Rotunda, em Vila Nova de Gaia, parcialmente relvado, cujo projeto de novembro de 2022 prevê a a supressão das duas atuais rotundas na VL8 e criação de duas novas, sob a via do metro.

A Linha Rubi, que custará 299 milhões de euros, é integralmente financiada pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) a fundo perdido, e ligará o Porto e Gaia entre as estações da Casa da Música e Santo Ovídio, implicando a construção de uma nova travessia sobre o rio Douro, devendo estar concluída no final de 2025.

Vindo da ponte, o metro segue por um novo viaduto sobre o qual será construída a nova rotunda da Arrábida, próxima às atuais estações de serviço da Galp e que ligará o trânsito à autoestrada, à Afurada e às imediações do Arrábida Shopping.

Mais à frente, “com a implementação do corredor do metro, que se pretende ter o menor número possível de atravessamentos”, a primeira rotunda na atual configuração da VL8, que liga à Rua 28 de Janeiro e vias laterais, “foi anulada, tendo sido criada uma rotunda sob o Viaduto A [já existente]” na Avenida Mestre José Rodrigues, a via que segue para o rio Douro junto ao estádio do Candal.

Entre a nova rotunda e a Rua Rei Ramiro, a plataforma do viaduto será “reformulada de modo a integrar o corredor do metro”, e “os acessos aos postos de abastecimento de combustível existentes nos dois lados da avenida serão mantidos”.

A atual rotunda da Rua Rei Ramiro também será suprimida, “sendo o atravessamento da VL8 assegurado através da construção de uma passagem inferior que ligará a Rua António Gustavo Moreira, a poente, com a Rua Rei Ramiro, a nascente”.

Mais à frente, a caminho das Devesas, também “a Rua André de Castro será prolongada até à Rua José Falcão, passando em passagem desnivelada por baixo da VL8”.

“A reformulação do traçado rodoviário termina na rotunda Eng.º Edgar Cardoso”, que “passará a ter uma única coroa de circulação com quatro vias”.

Nos desenhos consultados pela Lusa é também possível observar que estão previstas ciclovias dos dois lados da VL8, entrando também na estação Rotunda, que receberá o metro numa cota abaixo da rodovia.

O anteprojeto de arquitetura da ponte da Linha Rubi já apontava para “um passeio de trânsito pedonal e ciclável” no trajeto a partir da entrada da travessia em Vila Nova de Gaia.

Apesar de ter sido abandonada a “proposta de criação de uma praça elevada panorâmica sobre o rio”, foi abraçada a “ideia de um espaço amplo de praça e de miradouro com ligação pedonal e ciclável à encosta”.

A VL8 “deverá ser ladeada, pelo menos, do lado da encosta por um perfil de passeio público ciclável, assumindo o seu desígnio urbano e a sua singular vocação panorâmica”, pode ler-se no anteprojeto.

“Seria um erro a Via 8 não possuir a ambição de pertencer à cidade, convocando o passeio dos munícipes de Gaia”, aponta o anteprojeto assinado por José Carlos Nunes de Oliveira.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.