Ligue-se a nós

Atualidade

Mulher tripulante de veleiro encalhado na Figueira da Foz com prognóstico reservado – hospital

Publicado

A mulher tripulante do veleiro que encalhou este domingo numa praia da Figueira da Foz, com cerca de 50 anos, ficou ferida com gravidade e está com prognóstico reservado, enquanto o homem encontra-se estável, disse fonte hospitalar.

O casal, de nacionalidade francesa, navegava na embarcação de 12 metros em direção a Cascais, quando a embarcação encalhou na praia do Cabedelo, a sul da cidade, cerca das 10:30 de hoje.

Fonte do Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) disse à Lusa que a mulher, que estaria em paragem cardiorrespiratória quando foi retirada da água, foi transferida para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e está com prognóstico reservado.

Já o homem está internado em situação estável no HDFF, permanecendo em observação.

De acordo com informação fornecida à Lusa pelo Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra, após o alerta, os dois tripulantes foram resgatados depois de se atirarem à água: primeiro o homem, apenas com ferimentos ligeiros, e mais tarde, às 11:23, a mulher, que se encontrava em paragem cardiorrespiratória.

A embarcação, que estava fundeada a cerca de 50 metros da linha de costa, numa zona de forte rebentação até cerca das 17:00 de hoje, acabou por partir a amarra que tinha e navegou à deriva mais para sul, encalhando na areia a poucos metros de distância do primeiro esporão ali existente, no extremo sul da praia do Cabedelo.

O veleiro está adornado e apresenta diversos danos, aparentemente por ação da ondulação, constatou a Lusa no local.

No local, nas operações de socorro às vítimas, estiveram meios aquáticos e terrestres da Capitania da Figueira da Foz, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), Polícia Marítima e das corporações dos Bombeiros Sapadores e Voluntários da cidade.

Atualidade

Em Portugal Continental não vai haver quarentena para turistas

Publicado

O primeiro-ministro assegurou hoje que em Portugal Continental não irão vigorar normas de quarentena para quem venha de fora do país, e disse estar tranquilo e “sem pressas” quanto à reabertura da fronteira terrestre com Espanha.

No final de um Conselho de Ministros de quase oito horas, que se reuniu para fazer o balanço das medidas da segunda fase de desconfinamento e tomar decisões relativamente à terceira fase, no âmbito da pandemia de covid-19, António Costa foi questionado se Portugal estava a negociar com algum país para que turistas possam entrar no país sem quarentena.

“Em Portugal Continental não vigorou, não vigora e nem pretendemos que venham a vigor normas de quarentena, têm sido única e exclusivamente adotadas pelas Regiões Autónomas, nunca o Governo da República as adotou e nunca as irá adotar”, afirmou.

Questionado se concorda com o anúncio feito pelo seu homólogo espanhol, Pedro Sánchez, de que a fronteira terrestre não reabra antes de 15 de julho, o primeiro-ministro remeteu o tema para negociações bilaterais.

“Estamos totalmente tranquilos e sem pressas na reabertura da nossa fronteira, respeitamos integralmente a sua vontade de não proceder à reabertura antecipada de fronteiras”, afirmou.

António Costa salientou que esta fronteira terrestre se mantém aberta para transporte de mercadorias, trabalhadores transfronteiriços e para os emigrantes que pretendam atravessar a Espanha para vir a Portugal, recordando que França já assegurou que os portugueses não terão de cumprir quarentena no regresso de férias.

Lusa

Continue a ler

Populares