Ligue-se a nós

Atualidade

Mónica Sintra condenada por difamar juiz

Publicado

Foto: Facebook Mónica Sintra

Mónica Sintra foi condenada a seis meses de pena suspensa e ao pagamento de uma indemnização de 12.500 euros. A cantora é culpada de um crime de difamação agravada de um juiz.

O caso começou a 4 de junho de 2020, quando Ana Loureiro, dona de uma casa de prostituição e defensora da legalização da atividade em Portugal, acusou o juiz do Tribunal de Família e Menores de Mafra, Joaquim Manuel Loureiro, de pedofilia

Na altura em que foi tornado público que o juiz estava sob investigação, Mónica Sintra publicou no Facebook um comentário onde dizia não estar surpreendida com as acusações contra o juiz, tecendo críticas ao trabalho do magistrado, que tinha sido responsável por um processo de regulação de poder paternal do filho da cantora.
O processo contra o juiz terminou dois anos depois, sendo Joaquim Manuel da Silva considerado inocente depois de uma das prostitutas envolvidas no caso ter confessado que tinha sido coagida a fazer uma denúncia falsa.

Ainda no mesmo ano o magistrado acusou Mónica Sintra de difamação.

A artista foi agora condenada, pelo Tribunal de Loures, pelo crime de difamação agravado a seis meses de prisão com pena suspensa, durante um ano e ao pagamento de uma indemnização de 12 mil e 500 euros.

 

Publicidade
3 Comentários

3 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.