Ligue-se a nós

Atualidade

Mau tempo: Circulação do Metro do Porto em Gondomar retomada na sexta-feira

Publicado

Metro do Porto

A Metro do Porto estima que a circulação da Linha F, entre as estações da Levada e de Fânzeres, em Gondomar, seja reposta às 06:00 de sexta-feira devido à reparação de uma catenária, indicou hoje fonte da empresa.

De acordo com a fonte, “durante a remoção de uma árvore que tombou de madrugada devido ao mau tempo, a proteção civil identificou outras árvores em risco de queda e tinham de ser acauteladas, tendo uma segunda tombado [sobre a linha], o que obrigará ao prolongamento dos trabalhos”.

A Metro do Porto estima que a circulação entre a Levada e Fânzeres, na zona de Rio Tinto, no concelho de Gondomar, no distrito do Porto, seja retomada às 06:00 de sexta-feira.

A queda da segunda árvore, que aconteceu cerca das 13:30, danificou uma catenária da linha que atualmente circula apenas entre as estações do Senhor de Matosinhos e a Levada (Gondomar).

A circulação do metro naquele troço em Gondomar foi interrompida esta manhã, depois de uma árvore ter tombado sobre a linha.

Pelas 08:00, a empresa recomendava já a utilização do serviço da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) e dos operadores de transporte privados como alternativa ao metro.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto disse esta manhã que o mau tempo que se fez sentir durante a madrugada levou à queda de “muitas dezenas de árvores” e ao desabamento de outras estruturas por todo o distrito.

Atualidade

OE2020: PSD quer alterar acesso à reforma de bombeiros voluntários com 30 anos de serviço

Publicado

O PSD quer que os bombeiros que desempenham funções a tempo inteiro nas associações humanitárias há mais de 30 anos tenham este ano um acesso à idade da reforma idêntico aos bombeiros profissionais.

Na proposta entregue na Assembleia da República de alteração ao Orçamento do Estado para 2020, o PSD defende que a idade de acesso à reforma seja reduzida em seis anos face ao regime geral, como acontece atualmente com os bombeiros profissionais.

O PSD considera justo aplicar o mesmo regime dos bombeiros profissionais aos funcionários das associações humanitárias que desempenham funções de bombeiros a tempo inteiro e tenha, pelo menos, 30 anos de efetividade de serviço devido à “natureza do trabalho desempenhado”.

Os social-democratas sublinham que se trata de reconhecer “a importância que os bombeiros têm ao serviço da população”, garantindo esta equiparação “maior justeza na atribuição das pensões de aposentação e de velhice a estes profissionais”.

No âmbito das proposta de alteração ao Orçamento do Estado para este ano, o PSD propõe também um complemento extraordinário para pensões de invalidez de bombeiros voluntários dos quadros de comando e ativo que tenham sofrido acidentes no exercício da atividade operacional.

Continue a ler

Populares