Ligue-se a nós

Atualidade

Marinha portuguesa resgata mulher em aldeia isolada em Moçambique

Publicado

Marinha resgata mulher Moçambique 2
Foto: Facebook Marinha Portuguesa

Um Sargento Fuzileiro da Marinha Portuguesa resgatou uma mulher de uma zona totalmente isolada na Beira, em Moçambique.

O Sargento Fuzileiro Faustino voluntariou-se de imediato para comunicar em português e efetuar o salvamento.

As imagens da Marinha Portuguesa, publicadas no Facebook, mostram o momento em que o fuzileiro português, que integra a Força de Reação Imediata, resgatou a mulher já com sinais de fraqueza.

“Uma mulher, com sinais evidentes de fraqueza, foi localizada durante uma operação de reconhecimento às áreas ainda isoladas. Durante o voo, a tripulação do helicóptero apercebeu-se de um pedido de auxílio de vários populares no solo, que acenavam a pedir ajuda”, refere a Marinha.

O salvamente aconteceu no domingo.

O ciclone Idai afetou o Zimbabué, o Malawi e Moçambique provocando, até ao momento, um total de 761 mortos nos três países.

Atualidade

GNR apreendeu atum-rabilho com mais de 200 quilos em Ílhavo

Publicado

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR apreendeu na quarta-feira, na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo, um exemplar de atum-rabilho com 205 quilogramas, bem como 226 quilogramas de pescado fresco de diversas espécies, num valor estimado de 6.980 euros.

Segundo um comunicado da GNR, o pescado foi descarregado de uma embarcação de pesca costeira “sem cumprir com as obrigações respeitantes ao registo obrigatório no diário de pesca das quantidades estimadas de cada espécie, bem como a respetiva notificação prévia antes de chegada a porto”.

A GNR informa que, de acordo com a legislação em vigor, o atum-rabilho faz parte de uma das oito espécies de atum pertencentes à família “Scombridae”, sendo uma espécie e predador de topo, com elevada importância para a pesca comercial e que está em perigo de extinção.

“Foi identificado o mestre da embarcação e elaborado o respetivo auto de contraordenação pelas infrações de não registo obrigatório no diário de pesca e notificação prévia antes de chegada a porto, cujas coimas podem atingir os valores de 75 mil euros e os 125 mil euros, respetivamente”, refere a mesma nota.

Continue a ler

Populares