Ligue-se a nós

Atualidade

Mais de 600 condutores ‘apanhados’ a usar o telemóvel 

Publicado

É o resultado da operação levada a cabo pela Guarda Nacional Republicana (GNR) que entre os dias 6 e 12 de maio, fiscalizou 29 mil condutores.

No total foram detetadas 9.947 contraordenações, 646 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 2 522 por excesso de velocidade, 603 por falta de inspeção periódica obrigatória, 538 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 441 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças e 243 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

A ação de fiscalização teve como principal objetivo contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos mais seguros por parte dos condutores.

 

Atualidade

Aeródromo de Vila Real fecha por perigo de abatimento na pista

O aeródromo de Vila Real está encerrado a partir de hoje à operação de aviões.

Publicado

Aeroporto Viajar

O presidente da Câmara de Vila Real esclareceu esta terça-feira que foi detetado um “perigo de abatimento na pista” do aeródromo municipal, que determinou o encerramento “por tempo indeterminado” e implica um investimento “muito avultado”.

“Há a possibilidade de um abatimento na zona central da pista (…) Há uma linha de água que passa por baixo da pista, essa linha de água tem erodido os sedimentos que estão debaixo da pista, há um perigo de abatimento e, havendo esse perigo, não nos resta mais nada do que encerrar a pista por tempo indeterminado”, explicou Rui Santos, em conferência de imprensa.

Este aeródromo municipal é a sede de dois aviões de combate a incêndios, afetos à Proteção Civil, e é, além de Viseu e de Cascais (distrito de Lisboa), uma das paragens da carreira aérea que liga Bragança e Portimão (no distrito de Faro).

A decisão de encerramento tem implicações nas “normais operações aéreas”, estando a Proteção Civil a estudar localizações alternativas para os aviões médios de combate a incêndios, estando em cima da mesa hipóteses como os aeródromos de Chaves ou Mirandela.

Questionado sobre se este encerramento pode comprometer o combate a incêndios a partir de Vila Real, Rui Santos disse ter a esperança que “tal não aconteça”. “Como disse, os helicópteros podem operar, acresce que há aeródromos à volta, que suportarão o estacionamento de aviões e, caso seja necessário, agirão em conformidade”, frisou.

Continue a ler

Populares