Ligue-se a nós

Atualidade

Jovens portugueses deixam casa dos pais em média aos 29 anos

Os números foram divulgados pelo gabinete estatístico europeu no âmbito do Dia Internacional das Famílias, que se assinala na quarta-feira.

Publicado

Jovens Pessoas Grupo

Os jovens portugueses são dos que mais tarde saem de casa dos pais, quase aos 29 anos, acima da média da União Europeia (UE 26), segundo dados de 2017 do Eurostat.

O gabinete estatístico europeu destaca que em 2017 mais de um terço (35,3%) de jovens do sexo masculino entre os 25 e os 34 anos viviam em casa dos pais em 2017, comparados com um quinto (21,7%) de jovens do sexo feminino.

Esta tendência é acompanha por Portugal, com 50,8% de jovens adultos a viverem com os pais em 2017, contra 40,5% de jovens adultas.

Em média, uma em cada quatro pessoas entre os 25 e os 34 anos (28,5%) vivia em casa dos pais em 2017, com Portugal a chegar aos 45,6%.

A Croácia (31,8 anos em média), a Eslováquia (30,9 anos), Malta (30,7) e Itália (30,1) são os países onde os jovens vivem durante mais tempo em casa dois pais, ultrapassando a fasquia dos 30 anos, seguindo-se a Bulgária (29,6 anos), Espanha (29,5), Grécia (29,3) e Portugal (28,9).

No extremo oposto, a Suécia era em, 2017, o país onde os jovens mais cedo saiam de casa dos pais (18,5 anos), seguindo-se o Luxemburgo (20,1), a Dinamarca (21,1), a Finlândia (22,0), a Estónia (22,2), Alemanha, França e Holanda (23,7 cada) e o Reino Unido (24,7 anos).

Atualidade

Desfile de crianças para adoção no Brasil gera polémica

O evento é organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, num centro comercial de Cuiabá.

Publicado

Foto: Twitter Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso

Crianças e adolescentes aptos para adoção, dos quatro aos 17 anos e devidamente produzidos, desfilaram num evento organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, num centro comercial de Cuiabá, no Mato Grosso, mas a ação está a gerar polémica.

Segundo avança a imprensa brasileira, os jovens desfilaram para os eventuais pais adotivos.

O evento tem o nome “Adoção na Passarela” e já foi comparado por internautas a uma “feira de adoção” ou a uma “vitrine”, para além também de se referirem ao evento como um “desfile para animais de estimação”.

Em jeito de defesa, a presidente da Comissão de Infância e Juventude, Tatiana Ramalho, sublinhou, de acordo com o jornal Globo, que “o objetivo é dar visibilidade a essas crianças e a esses adolescentes que estão aptos para adoção”.

 

Continue a ler

Populares