Ligue-se a nós

Atualidade

Instagram remove vídeo de Neymar, investigado por divulgar fotos íntimas

Publicado

Foto: Facebook Neymar Jr.

O vídeo de cerca de sete minutos postado por Neymar para se defender de uma acusação de violação foi eliminado pelo Instagram, na madrugada desta segunda-feira, segundo a publicação brasileira Veja.

Além da acusação de violência sexual o jogador está a ser investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro por divulgação de fotos íntimas.

“O conteúdo foi removido por violar as Diretrizes da Comunidade do Instagram”, comunicou a assessoria da rede social.

Neymar da Silva Santos, pai do jogador, já tinha dito que o vídeo tinha sido apagado pelo próprio Instagram, mas defendeu a atitude do filho. “Não tínhamos escolha. Eu prefiro um crime de internet do que uma violação. Foi o Instagram que tirou. Ele preservou a imagem, o nome. Ele precisava de se defender rapidamente”, disse, em entrevista à Band.

No vídeo, Neymar defendia-se ds acusações de violação e dizia estar a ser vítima de extorsão. Exibiu a troca de mensagens, nas quais aparecem fotos da suposta vítima nua ou seminua, com o rosto e partes íntimas borradas.

Atualidade

Programa Apoiar reforça apoios para empresas encerradas devido à pandemia

Publicado

A alteração ao regulamento do programa Apoiar determina novos apoios para as empresas que se mantêm encerradas devido à pandemia de covid-19, designadamente bares e discotecas, anunciou hoje o Governo.

Numa nota enviada às redações, o gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, destaca que “este reforço da liquidez” se traduz “numa duplicação do apoio extraordinário já atribuído, correspondente ao valor do incentivo apurado referente ao último trimestre de 2020”.

A medida visa “melhorar as condições de tesouraria das empresas para fazerem face aos compromissos de curto prazo, contribuindo para a sua subsistência durante e após o surto pandémico”, é salientado no comunicado.

O gabinete de Siza Vieira refere que, no caso das empresas com quebras de faturação entre os 25% e os 50%, “o reforço do apoio pode atingir os 13.750 euros para as microempresas e os 33.750 euros para as pequenas, médias e grandes empresas”.

“Caso as quebras tenham sido superiores a 50%, o apoio pode ascender a 20.625 euros ou 50.625 euros, respetivamente”, é acrescentado.

A alteração ao regulamento do programa Apoiar aplica-se retroativamente às candidaturas que já foram aprovados e o ajustamento dos valores a receber será feito de forma automática, depois de confirmadas as condições de acesso, explica o Governo.

Lusa

Continue a ler

Populares