Ligue-se a nós

Atualidade

INEM esclarece que helitransporte de Santana seguiu critérios clínicos

Publicado

Foto: Facebook INEM - Instituto Nacional de Emergência Médica

O INEM esclareceu que o helitransporte de Santana Lopes para Coimbra se deveu a critérios clínicos, após críticas pelo uso do meio aéreo quando não havia aparentemente perigo de vida.

O INEM rebateu esta noite os comentários que surgiram na sua página no Facebook, perante o uso do helicóptero do organismo, estacionado em Santa Comba Dão, para realizar o transporte de Santana Lopes para o Hospital Universitário de Coimbra (HUC), a cerca de duas dezenas de quilómetros do local do despiste do veículo.

No esclarecimento o INEM escreve que “Em função da avaliação clínica realizada, uma das vítimas foi helitransportada para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) com suspeita de traumatismo torácico, e a outra vítima foi transportada de Ambulância também para os HUC, com acompanhamento da Equipa Médica da VMER dos Covões, com suspeita de traumatismo craniano”.

O Instituto de Emergência Médica acrescenta ainda que “o serviço (…) é universal, gratuito, e exige igualdade de tratamento para todos os cidadãos que se encontrem em território de Portugal Continental.”

O alerta para o acidente foi dado pelas 17h05 horas ao CODU, que enviou para o local, além do héli de Santa Comba Dão, uma viatura médica de emergência e reanimação do Hospital dos Covões e duas ambulâncias dos bombeiros voluntários de Pombal e de Soure.

Santana Lopes foi transportado de helicóptero para os HUC e Paulo Sande seguiu de ambulância acompanhado por uma equipa médica do Hospital dos Covões.

A necessidade de pouso do helicóptero na A1 levou a que a autoestrada fosse cortada ao trânsito durante uma hora e meia nos dois sentidos.

Atualidade

Encontrado corpo de homem a boiar em praia de Cascais

Publicado

Praia

O corpo de um homem entre os 40 e os 50 anos foi encontrado hoje a boiar na praia da Parede, em Cascais, distrito de Lisboa, e o óbito foi declarado no local, avançou fonte da Autoridade Marítima.

“Não houve indícios de crime”, afirmou à Lusa o capitão do Porto de Cascais, Rui Pereira da Terra, acrescentando que, no entanto, a Polícia Judiciária já foi informada.

O alerta para o avistamento de um corpo a boiar na praia ocorreu pelas 11:45, mobilizando os bombeiros da Parede e operacionais da Autoridade Marítima, que removeram o cadáver.

“O Instituto Nacional de Emergência Médica esteve no local e confirmou o óbito”, informou Rui Pereira da Terra, referindo que o corpo vai ser autopsiado no gabinete do Instituto de Medicina Legal, que se localiza no cemitério da Guia, em Cascais, para saber quais as causas da morte.

De acordo com informação da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), a ocorrência foi registada pelas 11:30, mobilizando nove operacionais e cinco veículos.

Continue a ler

Populares