Ligue-se a nós

Atualidade

INEM esclarece que helitransporte de Santana seguiu critérios clínicos

Publicado

Foto: Facebook INEM - Instituto Nacional de Emergência Médica

O INEM esclareceu que o helitransporte de Santana Lopes para Coimbra se deveu a critérios clínicos, após críticas pelo uso do meio aéreo quando não havia aparentemente perigo de vida.

O INEM rebateu esta noite os comentários que surgiram na sua página no Facebook, perante o uso do helicóptero do organismo, estacionado em Santa Comba Dão, para realizar o transporte de Santana Lopes para o Hospital Universitário de Coimbra (HUC), a cerca de duas dezenas de quilómetros do local do despiste do veículo.

No esclarecimento o INEM escreve que “Em função da avaliação clínica realizada, uma das vítimas foi helitransportada para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) com suspeita de traumatismo torácico, e a outra vítima foi transportada de Ambulância também para os HUC, com acompanhamento da Equipa Médica da VMER dos Covões, com suspeita de traumatismo craniano”.

O Instituto de Emergência Médica acrescenta ainda que “o serviço (…) é universal, gratuito, e exige igualdade de tratamento para todos os cidadãos que se encontrem em território de Portugal Continental.”

O alerta para o acidente foi dado pelas 17h05 horas ao CODU, que enviou para o local, além do héli de Santa Comba Dão, uma viatura médica de emergência e reanimação do Hospital dos Covões e duas ambulâncias dos bombeiros voluntários de Pombal e de Soure.

Santana Lopes foi transportado de helicóptero para os HUC e Paulo Sande seguiu de ambulância acompanhado por uma equipa médica do Hospital dos Covões.

A necessidade de pouso do helicóptero na A1 levou a que a autoestrada fosse cortada ao trânsito durante uma hora e meia nos dois sentidos.

Atualidade

Desfile de crianças para adoção no Brasil gera polémica

O evento é organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, num centro comercial de Cuiabá.

Publicado

Foto: Twitter Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Mato Grosso

Crianças e adolescentes aptos para adoção, dos quatro aos 17 anos e devidamente produzidos, desfilaram num evento organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil, num centro comercial de Cuiabá, no Mato Grosso, mas a ação está a gerar polémica.

Segundo avança a imprensa brasileira, os jovens desfilaram para os eventuais pais adotivos.

O evento tem o nome “Adoção na Passarela” e já foi comparado por internautas a uma “feira de adoção” ou a uma “vitrine”, para além também de se referirem ao evento como um “desfile para animais de estimação”.

Em jeito de defesa, a presidente da Comissão de Infância e Juventude, Tatiana Ramalho, sublinhou, de acordo com o jornal Globo, que “o objetivo é dar visibilidade a essas crianças e a esses adolescentes que estão aptos para adoção”.

 

Continue a ler

Populares