Ligue-se a nós

Atualidade

Identificados “todos os intervenientes nas agressões” a jovem atropelado no Seixal – PSP

Publicado

Um jovem foi atropelado na quinta-feira na Estrada Nacional 10-2 no Seixal, distrito de Setúbal, na sequência de ser vítima de uma alegada prática de ‘bullying’, estando já identificados “todos os intervenientes nas agressões”, disse hoje a PSP.

Em resposta escrita à agência Lusa, a Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) confirmou “a veracidade do vídeo captado na passada quinta-feira, no Seixal”, que foi partilhado na terça-feira nas redes sociais, em que se vê um grupo de alunas a agredir um rapaz e a persegui-lo, levando-o a atravessar a Estrada Nacional (EN) 10-2 e a ser atropelado por uma viatura que circulava nesta via.

Com pouco mais de um minuto, o vídeo começa com uma jovem a dar um murro no ombro do rapaz, vítima que depois tentou seguir caminho, mas foi perseguido pelo grupo de alunas, ouvindo-se alguém a dizer “ele está a chorar” e “isso é ‘bullying’”.

O grupo de jovens estava junto ao passeio da EN 10-2, em Vale da Romeira, no Seixal, e quando o rapaz tentou fugir atravessou a estrada e acabou por ser atropelado por uma viatura que circulava nesta via, inclusive vê-se e ouve-se no vídeo o estrondo do embate.

Além de confirmar a veracidade do vídeo, a Direção Nacional da PSP informou também que “registou o acidente, tendo já identificado todos os intervenientes nas agressões, em estreita colaboração com a escola”, sem avançar mais informação sobre a ocorrência, nomeadamente o estado em que se encontra a vítima.

“Do ocorrido foi também dado conhecimento à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e ao Ministério Público da área”, referiu a PSP.

De acordo com o Diário do Distrito, jornal de Setúbal, os jovens são alunos da Escola Básica Dr. António Augusto Louro, na Arrentela, no Seixal, e, após o atropelamento, não prestaram auxílio ao rapaz, que sofreu ferimentos ligeiros.

A Lusa tentou contactar esta escola, mas sem sucesso até ao momento.

Atualidade

Programa Apoiar reforça apoios para empresas encerradas devido à pandemia

Publicado

A alteração ao regulamento do programa Apoiar determina novos apoios para as empresas que se mantêm encerradas devido à pandemia de covid-19, designadamente bares e discotecas, anunciou hoje o Governo.

Numa nota enviada às redações, o gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, destaca que “este reforço da liquidez” se traduz “numa duplicação do apoio extraordinário já atribuído, correspondente ao valor do incentivo apurado referente ao último trimestre de 2020”.

A medida visa “melhorar as condições de tesouraria das empresas para fazerem face aos compromissos de curto prazo, contribuindo para a sua subsistência durante e após o surto pandémico”, é salientado no comunicado.

O gabinete de Siza Vieira refere que, no caso das empresas com quebras de faturação entre os 25% e os 50%, “o reforço do apoio pode atingir os 13.750 euros para as microempresas e os 33.750 euros para as pequenas, médias e grandes empresas”.

“Caso as quebras tenham sido superiores a 50%, o apoio pode ascender a 20.625 euros ou 50.625 euros, respetivamente”, é acrescentado.

A alteração ao regulamento do programa Apoiar aplica-se retroativamente às candidaturas que já foram aprovados e o ajustamento dos valores a receber será feito de forma automática, depois de confirmadas as condições de acesso, explica o Governo.

Lusa

Continue a ler

Populares