Ligue-se a nós

Atualidade

Homem de Gaia acusado de abuso sexual da filha de 8 anos

Publicado

Justiça

O Ministério Público deduziu acusação contra um homem de Vila Nova de Gaia por abusar sexualmente da filha de 8 anos, anuncia a Procuradoria Distrital do Porto, assinalando que o arguido sabia ser portador de doença sexualmente transmissível.

“Em causa está a conduta de um arguido que, de acordo com os fortes indícios recolhidos, num dia que teve a visita da filha, de 8 anos de idade, entregue à guarda e cuidados de outros familiares, manteve com a criança atos de natureza sexual em três ocasiões distintas”, indica uma nota da Procuradoria, resumindo um despacho de acusação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

Ainda de acordo com esses indícios, “o arguido era, àquela data, portador de doença sexualmente transmissível, circunstância que era do seu conhecimento”, acrescenta a nota, divulgada na página eletrónica da Procuradoria Distrital.

O homem, que já estava em prisão preventiva, viu renovada a medida de coação máxima.

Está acusado pela prática, em concurso real, de três crimes de abuso sexual de criança agravado.

Atualidade

Governo e sindicatos voltam a negociar salários na função pública

Publicado

O secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, e as três estruturas sindicais da Função Pública têm agendada uma nova ronda negocial sobre aumentos salariais, na sequência das contrapropostas apresentadas na segunda-feira pelos sindicatos.

Esta reabertura do processo negocial começou com o Governo a propor um aumento reforçado de sete euros para todos os funcionários públicos cujo salário está situado entre os níveis 4 e 5 da Tabela Remuneratória Única, ou seja, entre 635,07 euros e 683,13 euros, respetivamente, mantendo a atualização de 0,3% para os restantes trabalhadores.

Na última reunião, as três estruturas sindicais da função pública manifestaram a sua discordância com aumentos diferenciados, defenderam subidas mais robustas.

A Fesap aponta para 2,9%, a Frente Comum quer um aumento mínimo de 90 euros mensais para todos os funcionários públicos e a Frente Sindical liderada pelo Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) defende uma atualização das remunerações e da Tabela Remuneratória Única em 2%.

Além disso, exigem e a reposição dos 25 dias úteis de férias, retirados durante a troika, e um aumento do subsídio de refeição face aos 4,77 euros atuais.

Continue a ler

Populares