Ligue-se a nós

Atualidade

Há sete anos que não havia tantos casamentos em Portugal

Publicado

Vestido Noiva

O número de casamentos atingiu em 2018 o valor mais elevado dos últimos seis anos, totalizando 34.637, dos quais 607 entre pessoas do mesmo sexo, segundo as “Estatísticas Vitais” do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Relativamente a 2017, ano em que se celebraram 33.634 casamentos, observou-se um aumento de 3% em 2018, o que se traduziu em mais 1.003 casamentos.

Também se registou um aumento no número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo: 607 em 2018 contra 523 em 2017, referem os dados do INE, precisando que 342 casamentos foram entre homens e 265 entre mulheres (282 e 241, respetivamente, em 2017).

Em mais de metade dos casamentos realizados em 2018, os nubentes possuíam residência anterior comum (20.697), uma situação que tem vindo a aumentar significativamente nos últimos anos, passando de 44,2% em 2010 para 59,8% em 2018.

Em 2018, 54,1% dos casamentos (18.724) realizaram-se nos meses de verão (entre junho e setembro), sendo agosto o mês com maior frequência (5.265).

Entre 2010 e 2018, agosto foi sempre o mês com mais casamentos, ao contrário de fevereiro que foi sempre o mês com menor número de casamentos.

Atualidade

Iberdrola sobe indemnizações de casas afetadas por sistema de barragens do Tâmega

Publicado

A Iberdrola vai aumentar o valor das indemnizações pelas 52 casas afetadas pelas barragens de Daivões, Alto Tâmega e Gouvães, pagar novas habitações e desistir dos realojamentos em pré-fabricados em Ribeira de Pena, revelou hoje o presidente daquela autarquia.

João Noronha falava aos jornalistas no Porto, após uma reunião com representantes da Iberdrola, da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), e os autarcas de Boticas, Chaves, Vila Pouca de Aguiar e Cabeceiras de Basto, os outros municípios afetados pelo Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET), que inclui ainda a barragem de Gouvães.

“Finalmente temos estes valores todos definidos e fixados. Vão ser pagos 950 euros por metro quadrado [de cada casa afetada], o que vai acrescentar um valor significativo às pessoas afetadas, nomeadamente as que já tinham sido indemnizadas. Acreditamos que, em finais de janeiro, as pessoas vão receber os correspondentes cheques”, afirmou o autarca de Ribeira de Pena, João Noronha, como porta-voz dos outros presidentes de câmara.

Para além de subir o valor das indemnizações pelos imóveis afetados, a Iberdrola vai ainda suportar a construção de novas habitações, em terrenos cedidos pelos municípios, e o valor do arrendamento temporário, até que as novas casas estejam concluídas, garantiu João Noronha.

Com isto, resolveu-se também a questão dos contentores instalados em Ribeira de Pena, que vão ser desmontados, passando seis famílias a ficar em casas alugadas.

Em alternativa, explicou o autarca, a Iberdrola vai pagar a renda dos realojamentos “em habitações condignas”, pelo tempo que cada família levar a “fazer a sua nova casa”.

Ainda no caso de Ribeira de Pena, o autarca esclareceu que serão 14 as casas novas e que os restantes casos “estão resolvidos”.

Continue a ler

Populares