Ligue-se a nós

Atualidade

Governo critica prémios a trabalhadores da TAP em ano de prejuízos

Em causa está a “quebra de confiança” por ter sido surpreendido com o pagamento de prémios de 1,171 milhões de euros a 180 pessoas.

Publicado

Foto: Facebook TAP

O Governo pediu a convocação de uma reunião urgente do Conselho de Administração da TAP, de acordo com o JN.

O Ministério das Infraestruturas quer esclarecimentos de todo o processo e para “análise do dever de informação a que estão obrigados nos termos do acordo parassocial e nos termos da legislação em vigor”.

Referiu ainda o Ministério, liderado por Pedro Nuno Santos, que “discorda da política de atribuição de prémios, num ano de prejuízos, a um grupo restrito de trabalhadores e sem ter sido dado conhecimento prévio ao Conselho de Administração da TAP da atribuição dos prémios e dos critérios subjacentes a essa atribuição, não se revendo na conduta da Comissão Executiva que agiu em desrespeito dos deveres de colaboração institucional que lhe são conferidos”.

“O Governo e os representantes do Estado no Conselho de Administração da TAP tomaram conhecimento desta decisão, já consumada com o processamento dos salários referentes ao mês de maio, pelos órgãos de comunicação social”, apontou.

Daí que, saliente, “este procedimento por parte da Comissão Executiva da TAP constitui uma quebra da relação de confiança entre a Comissão Executiva e o maior acionista da TAP, o Estado português”.

Apesar do prejuízo de 118 milhões de euros, em 2018, a TAP pagou junto com os salários de maio prémios de 1,171 milhões de euros a 180 pessoas. Duas delas, quadros superiores, receberam montantes acima dos 110 mil euros atribuídos.

A decisão partiu da Comissão Executiva da TAP, presidida Antonoaldo Neves, que não terá informado o conselho de administração da transportadora, onde o Estado tem seis representantes.

Atualidade

Bolsonaro chama Greta Thunberg de “pirralha” após ativista defender causa indígena

Publicado

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, chamou a ativista sueca Greta Thunberg de “pirralha”, após a ambientalista ter alertado para as lutas dos povos indígenas e mostrado preocupação com o assassinato de líderes nativos no Brasil.

Ao sair do Palácio da Alvorada, residência oficial do Presidente do Brasil, Bolsonaro questionou a cobertura jornalística dada a Thunberg, de 16 anos, que no último domingo usou a rede social Twitter para partilhar informação sobre o assassinato de mais dois indígenas no estado brasileiro do Maranhão.

“A Greta já disse que os índios morreram porque estavam a defender a Amazónia. É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí. Pirralha”, declarou o chefe de Estado a jornalistas, em Brasília.

Bolsonaro referia-se às declarações da jovem no Twitter, em que afirmou que “os povos indígenas estão literalmente a ser assassinados por tentar proteger a floresta da desflorestação ilegal. Repetidamente. É vergonhoso que o mundo permaneça calado sobre isso”.

O comentário de Bolsonaro sobre a adolescente segue a mesma linha daqueles já efetuados pelo seu homólogo norte-americano, Donald Trump, que, em setembro, respondeu sarcasticamente a um vídeo da jovem ativista sobre sofrimento humano, morte de ecossistemas e iminente extinção em massa.

“Ela parece ser uma jovem menina muito feliz, que está a caminho de um futuro maravilhoso e brilhante. Muito bom ver isso”, ironizou Trump na ocasião.

Greta respondeu a Trump da mesma forma que retribuiu a Bolsonaro, colocando na sua biografia do Twitter as observações feitas pelo chefe de Estado.

Na manhã de sábado, dois membros da tribo Guajajara foram mortos a tiro e outros dois ficaram feridos numa estrada que corta uma reserva, no estado brasileiro do Maranhão.

As autoridades informaram que os disparos foram feitos por criminosos que estavam dentro de um veículo branco, mas não identificaram nenhum suspeito.

Foi também no Maranhão, há pouco mais de um mês, que ocorreu o assassinato de outro líder indígena, Paulo Paulino Guajajara, que atuava como guardião da floresta.

Continue a ler

Populares