Ligue-se a nós

Atualidade

Facebook ainda não está a 100%

Publicado

a

Facebook Telemóvel

Desde as 15 horas desta quarta-feira e até ao momento, o Facebook ainda não explicou o que aconteceu, mas garante que não se tratou de um ataque cibernético.

A última justificação da rede social foi dada no Twitter, esta quarta-feira, pelas 19h00 (hora local).

De acordo com o Sapo Tek trata-se do maior “apagão” da sua história e ainda não foi completamente resolvido.

Apesar de estarem quase restauradas, as redes sociais Facebook, Instagram e até o WhattsApp registaram a mais longa duração de problemas de acesso de sempre. Ao fim de quase 20 horas desde as primeiras queixas, por volta das 15 horas desta quarta-feira, ainda continuam a ser registadas anomalias, um pouco por todo o mundo.

Segundo a BBC, é preciso regressar a 2008 para comparar a mais grave falha do Facebook desde que se tornou a rede social mais popular do mundo. A diferença é que nessa altura o Facebook tinha “apenas” 150 milhões de utilizadores, e não tinha na sua família as restantes redes sociais. Atualmente, a comunidade afetada é de 2.300 milhões de utilizadores mensais.

Olhando para o mapa global do DownDetector, em Portugal as queixas de utilizadores dizem respeito a Lisboa, principalmente, e já quase sem queixas o Porto. No resto da Europa, Madrid, Barcelona, Paris e Londres, são algumas das regiões afetadas.

Publicidade

COMENTÁRIOS

Atualidade

Tribunal de Leiria decreta prisão preventiva a suspeito de bater em mulher grávida

Publicado

a

O juiz de instrução do Tribunal de Leiria decretou prisão preventiva ao homem suspeito do crime de violência doméstica sobre uma mulher grávida.

Numa nota de imprensa, o Comando Territorial da GNR de Leiria informa que o juiz de instrução do Tribunal de Leiria aplicou a medida de coação de prisão preventiva, tendo o homem sido encaminhado para o Estabelecimento Prisional de Leiria, onde irá aguardar o desenrolar do processo.

A GNR de Leiria, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas, deteve, na semana passada, um homem de 23 anos, no concelho de Figueira da Foz, “na sequência da investigação que decorria há cerca de três meses”.

Durante a investigação, a GNR apurou que o suspeito “agredia física e psicologicamente a vítima, uma mulher de 36 anos, grávida de dois meses, e a ameaçava de morte com armas de fogo”.

No seguimento das diligências, os militares deram cumprimento a um mandado de detenção e a cinco buscas, das quais três domiciliárias, uma a um estabelecimento de restauração e bebidas, e outra a um veículo, nas localidades de Caldas da Rainha, Benedita, Rio Maior e Figueira da Foz.

Destas ações, resultou a recuperação de um veículo, que havia sido furtado no ano de 2017, em Quarteira (Algarve), e na apreensão de 1.429 doses de haxixe, 1.335 euros em numerário, sete cartuchos, duas caixas de punção e um motor de veículo.

O detido tem antecedentes criminais pela posse de arma proibida e furto.

Esta ação contou com o apoio de militares do Destacamento Territorial de Caldas da Rainha e do Comando Territorial de Santarém.

Continue a ler

Populares