Ligue-se a nós

Música

Eurovisão: The Black Mamba avançam para a final

Publicado

Portugal está na final da 65.ª edição do Festival Eurovisão da Canção com a canção “Love Is On My Side”, interpretada pelos The Black Mamba, e que vai decorrer no sábado, em Roterdão (Países Baixos).

Portugal foi o quinto finalista anunciado na segunda semifinal que decorreu esta quinta-feira, na qual também se apuraram para a final a Albânia, com o tema “Karma”, a Sérvia, com “Loco Loco”, a Bulgária, com “Growing Up Is Getting Old”, a Moldávia, com “SUGAR”, a Islândia, com “10 Years”, San Marino, com “Adrenalina”, a Suíça, com “Tout l’Univers”, a Grécia, com “Last Dance”, e a Finlândia, com “Dark Side”.

“Discoteque”, da Lituânia, “Russian Woman”, da Rússia, “Voices”, da Suécia, “El Diablo”, do Chipre, “Fallen Angel”, da Noruega, “The Wrong Place”, da Bélgica, “Set Me Free”, de Israel, “Mata Hari”, do Azerbaijão, “Shum”, da Ucrânia, e “Je Me Casse”, de Malta, foram as primeiras dez músicas apuradas na primeira semifinal, que decorreu na terça-feira, e que juntamente com os temas apurados hoje compõem a final do concurso, que se vai realizar no sábado.

Na final competem 26 países: dez foram escolhidos na terça-feira, durante a primeira semifinal, outros dez são selecionados hoje e há seis que têm entrada direta – os chamados “Cinco Grandes” (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e o país anfitrião (Países Baixos).

Embora esteja muito longe de ser dado como potencial vencedor este ano, Portugal tem vindo a subir nas casas de apostas desde que os The Black Mamba chegaram a Roterdão e onde já participaram em vários ensaios, que são divulgados pela organização no ‘site’ oficial do concurso.

Com “Love Is On My Side” Portugal leva à Eurovisão, pela primeira vez, uma canção integralmente em inglês, composta por Tatanka, vocalista dos The Black Mamba, banda formada em 2010 e que se move no universo dos blues, da soul e do funk.

COMENTÁRIOS

Atualidade

Rolling Stones de regresso aos palcos após a morte de Charlie Watts

Publicado

Os Rolling Stones voltaram aos palcos na noite da última segunda-feira para o seu primeiro espetáculo após o falecimento do baterista Charlie Watts.

O icónico grupo apresentou-se num evento privado do diretor executivo do New England Patriots, Robert Kraft, realizado no Gillette Stadium, em Massachusetts, Estados Unidos.

Ao lado de Mick Jagger, Keith Richards e Ronnie Wood, quem assumiu a bateria da banda foi Steve Jordan. O músico é um parceiro de longa data dos Rolling Stones e fez parte do projeto paralelo de Richards, o grupo X-Pensive Winos.

Em Agosto, Jordan foi anunciado como substituto de Watts, que tinha passado por uma cirurgia, para ocupar a bateria durante a atual tourné da banda, No Filter. Três semanas depois, a notícia que apanhou o mundo de surpresa, a morte de Charlie Watts que nos deixou aos 80 anos de idade.

A apresentação realizada na passada segunda-feira não integra a programação oficial da tourné da banda, que tem datas marcadas nos Estados Unidos entre Setembro e Novembro deste ano e irá regressar aos palcos já neste domingo, 2 em St. Louis.

 

Continue a ler

Populares