Ligue-se a nós

Atualidade

Deco: Mais de metade dos portugueses paga IMI a mais

Publicado

Apesar do valor de construção de todas as casas ter subido no início do ano, ainda não foram feitas atualizações no quadro da Finanças que influenciam o cálculo de IMI em todos os imóveis.

A Deco aconselha que peça uma nova avaliação da sua casa para obter poupanças no pagamento de imposto já em 2020.

Mais de 26 mil portugueses simularam o valor justo de IMI a pagar pelas suas casas e sete em cada dez confirmaram que estão a pagar imposto a mais.

Porém, esta situação pode ser alterada: De acordo com um estudo conduzido pela Deco Proteste, os contribuintes devem apresentar nas Finanças um pedido para nova avaliação das casas antes de 31 de dezembro, para obter poupanças no IMI já em 2020. Mas se o fez em 2017 e 2018 ainda não o pode fazer este ano dado só ser possível pedir novas avaliações de três em três anos.

Em média, as poupanças reveladas, esta quinta-feira, pelo simulador da associação para a defesa do consumidor, rondam os 78 euros. Faro, Setúbal, Vila Real, Santarém e Açores destacam-se, com poupanças médias acima dos 80 euros.

A 1 de janeiro, o valor de construção de todas as casas subiu oficialmente de 603 para 615 euros por metro quadrado.

No entanto, as Finanças não atualizaram esta parcela (que influencia o cálculo de IMI) em todos os imóveis. Apenas o fazem quando o imóvel é transacionado ou quando o proprietário solicita uma nova avaliação.

Daí que nem sempre compense fazê-lo. Ao pedir a nova avaliação da casa, as Finanças irão atualizar todos os coeficientes. Uns poderão descer, como os referentes à antiguidade do imóvel ou à sua localização. Outros poderão subir, como o valor de construção. Entre subidas e descidas, pode haver margem para poupança.

Atualidade

Leiria: Corpo de idosa desaparecida na Marinha Grande encontrado

Lídia Pereira, de 84 anos e residente em Vieira de Leiria, desapareceu no dia 5 de outubro, no Intermarché da Marinha Grande.

Publicado

Um corpo foi encontrado esta manhã, perto de Fonte Santa, na Marinha Grande, adiantou fonte da PSP de Leiria ao Notícias de Leiria.

“Tudo indica tratar-se da senhora que se encontrava desaparecida desde o dia 5 de outubro”, confirmou o Gabinete de Relações Públicas da PSP de Leiria, que ainda aguarda confirmação da Polícia Judiciária.

Segundo o Jornal da Marinha Grande, o cadáver encontrava-se já em elevado estado de decomposição mas as roupas coincidem com a descrição feita pelos familiares no dia do desaparecimento.

Continue a ler

Populares