Ligue-se a nós

Atualidade

CUF Almada aguarda resultados de inquérito sobre morte de menina de 12 anos

Publicado

A CUF de Almada informou hoje que está a aguardar os resultados do inquérito interno sobre a morte de uma menina de 12 anos, que ocorreu depois de ter alta nas urgências daquela clínica privada, no distrito de Setúbal.

“Neste momento o inquérito ainda está a decorrer”, disse à Lusa fonte da comunicação do grupo José de Mello Saúde, adiantando que não há “nenhuma novidade” sobre o caso que ocorreu em dezembro.

Segundo relatou a mãe da criança na rede social Facebook, a menina de 12 anos queixava-se de dores nas costas, tendo recorrido por duas vezes às urgências da CUF de Almada, que acabou por lhe dar alta sem a realização de qualquer exame.

Já em 22 de dezembro, foi necessário chamar o INEM porque a criança “não parava com dores”, tinha manchas roxas no corpo e estava a entrar em hipotermia, sendo levada para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde entrou em paragem cardíaca e faleceu.

Segundo avançou o Correio da Manhã, a CUF de Almada lamentou o falecimento da menina e decidiu “não incluir, temporariamente, a médica em questão na escala de serviços clínicos”, apesar de salvaguardar “a competência e a experiência de mais de 27 anos que lhe é reconhecida”.

Em declarações à Lusa, a fonte do grupo José de Mello Saúde indicou que ainda não há previsão sobre a data de conclusão do inquérito interno.

De acordo com o jornal Público, o Ministério Público também já instaurou um inquérito-crime às circunstâncias da morte da criança.

Atualidade

OE2020: PSD quer alterar acesso à reforma de bombeiros voluntários com 30 anos de serviço

Publicado

O PSD quer que os bombeiros que desempenham funções a tempo inteiro nas associações humanitárias há mais de 30 anos tenham este ano um acesso à idade da reforma idêntico aos bombeiros profissionais.

Na proposta entregue na Assembleia da República de alteração ao Orçamento do Estado para 2020, o PSD defende que a idade de acesso à reforma seja reduzida em seis anos face ao regime geral, como acontece atualmente com os bombeiros profissionais.

O PSD considera justo aplicar o mesmo regime dos bombeiros profissionais aos funcionários das associações humanitárias que desempenham funções de bombeiros a tempo inteiro e tenha, pelo menos, 30 anos de efetividade de serviço devido à “natureza do trabalho desempenhado”.

Os social-democratas sublinham que se trata de reconhecer “a importância que os bombeiros têm ao serviço da população”, garantindo esta equiparação “maior justeza na atribuição das pensões de aposentação e de velhice a estes profissionais”.

No âmbito das proposta de alteração ao Orçamento do Estado para este ano, o PSD propõe também um complemento extraordinário para pensões de invalidez de bombeiros voluntários dos quadros de comando e ativo que tenham sofrido acidentes no exercício da atividade operacional.

Continue a ler

Populares