Ligue-se a nós

Atualidade

Covid-19: Portugal com 156 mortos e 10.556 casos, novos máximos em 24 horas

Publicado

Portugal regista hoje 156 mortos relacionados com a covid-19 e 10.556 novos casos de infeção com o novo coronavírus, os valores diários mais elevados desde o início da pandemia, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os números de hoje ultrapassam os anteriores máximos, registados na terça-feira, com 155 óbitos, e no dia 08 de janeiro, com 10.176 casos de infeção com o novo coronavírus.

O boletim epidemiológico da DGS indica ainda que estão internadas 4.240 pessoas, mais 197 do que na terça-feira, das quais 596 em cuidados intensivos, ou seja, menos três.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 8.236 mortes associadas à covid-19 e 507.108 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 116.328 casos, mais 5.940 do que na terça-feira.

Segundo os dados da DGS, 70,3% dos novos casos registados hoje estão nas regiões do Norte e de Lisboa e Vale do Tejo

Atualidade

Abstenção mais elevada de sempre em eleições para PR

Publicado

A abstenção nas eleições presidenciais deste domingo foi de 54,55 por cento no território nacional.

Nestas eleições em contexto de pandemia,  votaram 4,2 milhões de eleitores, menos de metade dos 9,3 milhões de inscritos no território nacional.

A taxa de abstenção, que se situou nos 54,55 por cento, foi a mais elevada em eleições presidenciais, ultrapassando a registada na reeleição de Cavaco Silva, em 23 de janeiro de 2011, em que 53,56 por cento dos eleitores optaram por não ir às urnas.

Estes dados referem-se apenas a Portugal continental e Regiões Autónomas, faltando apurar todos os resultados das votações no estrangeiro.

As eleições presidenciais de 2021 voltaram a confirmar a tendência para uma maior abstenção quando se trata de um segundo mandato.

Os votos brancos atingiram 1,11 por cento e os nulos 0,94 por cento. No primeiro caso, esta percentagem foi menor relativamente às eleições presidenciais de 2016, nas quais se registaram 1,24 por cento de votos brancos, mas os votos nulos foram, nestas eleições, em maior percentagem em comparação com os 0,92 por cento de 2016.

 

Lusa

Continue a ler

Populares