Ligue-se a nós

Atualidade

CDS teve pior resultado de sempre e Cristas abandona liderança

Publicado

Foto: Facebook Assunção Cristas

O CDS, sob a liderança de Assunção Cristas, obteve no domingo o seu pior resultado de sempre em legislativas, com cinco deputados e 4,25% dos votos, percentagem mais baixa do que em 1987 e 1991.

O resultado de domingo, com cinco deputados eleitos, só se compara com o das eleições de 1991, quando o PSD teve a sua segunda maioria absoluta, e conseguiu mais um do que em 1987, na primeira maioria laranja, quando ficou conhecido como “partido do táxi”.

Assunção Cristas foi rápida a assumir responsabilidades pela derrota do partido, que se tornou a quinta força política, e anunciou, logo às 21:00, a sua demissão e a antecipação do congresso do partido, ao qual não vai concorrer.

Desde há meses que nas sondagens – para as quais Assunção Cristas ironizava que os militantes estão “vacinados” desde que se filiam no partido – o CDS “não descolava” e os resultados de domingo confirmaram os cenários mais cinzentos.

Sem nunca estabelecer uma meta definida e quantificada, Cristas modulou o discurso entre “o reforço do CDS” e na ambição de “contribuir para uma maioria de centro e de direita” em Portugal, capaz de ser alternativa ao PS e aos partidos de esquerda.

E todos esses objetivos ficaram pelo caminho da campanha eleitoral: os centristas não reforçaram a votação e juntos, PSD e CDS tiveram, segundo os resultados provisórios em território nacional, 32,15% dos votos, abaixo dos 36,8% da coligação PAF em 2015.

Da atual bancada de 18 deputados, eleita em 2015, em coligação com o PSD, os centristas ficaram reduzidos a cinco, perdendo eleitos de Setúbal (Nuno Magalhães), Viseu (Helder Amaral), Viana do Castelo (Filipe Anacoreta Correia), Faro (João Rebelo), Leiria (Raquel Abecasis), Santarém (Patrícia Fonseca), Viana do Castelo e perderam três representantes em Lisboa, dois no Porto, um Braga e outro em Aveiro.

Atualidade

Seis distritos do continente sob aviso amarelo devido à previsão de chuva

Publicado

Seis distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de chuva ou aguaceiros, temporariamente fortes e acompanhados de trovoada, granizo e rajadas fortes, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Leiria vão estar sob aviso amarelo até às 12:00 de hoje.

O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje nas regiões do norte e centro do continente céu muito nublado ou encoberto, diminuindo de nebulosidade a partir do meio da tarde em especial no interior.

Estão também previstos períodos de chuva ou aguaceiros, que poderão ser temporariamente fortes, de granizo e acompanhados de trovoada até ao final da tarde, diminuindo de intensidade e frequência.

Há também possibilidade de queda de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela durante a tarde.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 6 graus Celsius (na Guarda) e os 13 (em Faro, Lisboa e Porto) e as máximas entre os 13 (na Guarda) e os 21 (em Faro).

Continue a ler

Populares