Ligue-se a nós

Atualidade

Carro de Reyes circulava a 237 km/hora quando se deu o acidente

Publicado

Foto: slbenfica.pt

O relatório preliminar da Guarda Civil espanhola ao acidente que vitimou o futebolista José Antonio Reyes indica que o automóvel circulava a uma velocidade de 237 km/hora.

O rebentamento de um pneu, revela o jornal El Mundo Deportivo, é apontado como uma causa provável do sinistro. Este facto, aliado à alta velocidade a que rodava o Mercedes Brabus S550 de 380 cavalos, pode ter determinado o desfecho trágico, embora estas conclusões não sejam definitivas e correspondam para já aos primeiros testes realizados no local do acidente.

O carro saiu da estrada por causa do rebentamento e da alta velocidade, colidiu com uns blocos, capotou e incendiou-se de seguida. Segundo o jornal espanhol, Reyes não utilizava este carro há vários meses e os investigadores suspeitam que os pneus não tinham a pressão adequada.

O acidente ocorreu às 11.40 de sábado, no km 18 da A-376, na direção de Utrera, a sua cidade natal, à qual Reyes regressava após o treino do seu clube atual, o Extremadura, em Almendralejo (195 km de distância).

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, deixou uma nota de pesar no site do clube. “Foi um choque e com profunda tristeza e consternação que tomámos conhecimento do fatídico acidente que vitimou o nosso ex-jogador José Antonio Reyes, um jovem de 35 anos.

Para Luís Filipe Vieira, “O atleta e homem exemplar ficará para sempre na nossa memória”.

Também o Arsenal, clube por onde o futebolista passou, deixou um vídeo de homenagem.

Atualidade

Parlamento aprova voto de pesar pela morte de criança em Peniche

Publicado

O parlamento aprovou hoje um voto de pesar pela morte de Valentina Fonseca, de nove anos, em Peniche, um caso ocorrido em maio, em que o pai é um dos suspeitos do crime.

A comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias aprovou hoje votos de pesar pela morte da criança da autoria do BE, CDS, PSD e PAN e chumbou um voto apresentado pelo deputado do Chega, que não participou na reunião.

Todos os votos manifestam pesar pela morte da criança, tendo sido decidido que haverá um texto comum, dado que os quatro tinham o mesmo objetivo – manifestar pesar e consternação pelo falecimento de Valentina Fonseca.

O voto do deputado do Chega foi chumbado por todos os deputados presentes (do PS, PSD, PCP, BE e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira) pelas referências a em defesa da pena de prisão perpétua.

Valentina, de nove anos, foi dada como desaparecida na manhã do dia 07 de maio, depois de uma denúncia do pai no posto da GNR de Peniche, e encontrada três dias depois num pinhal.

O pai da criança é considerado o autor do crime, de acordo com o juiz de instrução do Tribunal de Leiria, que decretou a prisão preventiva ao homem e à madrasta da menina em 13 de maio.

Continue a ler

Populares