Ligue-se a nós

Atualidade

Brasil volta a registar mais de mil mortos em 24 horas

Publicado

Brasil bandeira

O Brasil voltou a ultrapassar a barreira dos mil mortos (1.113) em 24 horas devido à covid-19, totalizando agora 133.119 vítimas mortais desde o início da pandemia, informou na terça-feira o Ministério da Saúde.

O número de óbitos contabilizados na terça-feira está acima da média registada nas últimas três semanas no Brasil, que permanece abaixo de mil.

Atualmente, ainda está sob investigação a eventual relação de outros 2.445 óbitos com o novo coronavírus.

De acordo com o último boletim divulgado pela tutela da Saúde, o país sul-americano registou ainda 36.653 novos infetados nas últimas 24 horas, acumulando agora 4.382.263 casos confirmados.

Por outro lado, um consórcio formado pela imprensa brasileira, que decidiu colaborar na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, indicou que o país registou mais 1.090 mortes e 34.755 novos infetados nas últimas 24 horas.

No total, o consórcio constituído pelos principais media do Brasil informou que o país contabiliza 4.384.299 casos e 133.207 mortos, desde o início da pandemia, registada oficialmente em 26 de fevereiro.

Contudo, os dados da imprensa não incluem o estado do Amapá, que não divulgou os seus números referentes a infeções e mortes decorrentes da covid-19.

A taxa de letalidade da covid-19 no Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, está fixada em 3,0% e a taxa de incidência é agora de 63,3 mortes e de 2.085,3 casos por cada 100 mil habitantes.

No Brasil, 3.671.128 cidadãos já recuperaram da covid-19, enquanto que 578.016 estão sob acompanhamento médico.

Atualidade

Programa Apoiar reforça apoios para empresas encerradas devido à pandemia

Publicado

A alteração ao regulamento do programa Apoiar determina novos apoios para as empresas que se mantêm encerradas devido à pandemia de covid-19, designadamente bares e discotecas, anunciou hoje o Governo.

Numa nota enviada às redações, o gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, destaca que “este reforço da liquidez” se traduz “numa duplicação do apoio extraordinário já atribuído, correspondente ao valor do incentivo apurado referente ao último trimestre de 2020”.

A medida visa “melhorar as condições de tesouraria das empresas para fazerem face aos compromissos de curto prazo, contribuindo para a sua subsistência durante e após o surto pandémico”, é salientado no comunicado.

O gabinete de Siza Vieira refere que, no caso das empresas com quebras de faturação entre os 25% e os 50%, “o reforço do apoio pode atingir os 13.750 euros para as microempresas e os 33.750 euros para as pequenas, médias e grandes empresas”.

“Caso as quebras tenham sido superiores a 50%, o apoio pode ascender a 20.625 euros ou 50.625 euros, respetivamente”, é acrescentado.

A alteração ao regulamento do programa Apoiar aplica-se retroativamente às candidaturas que já foram aprovados e o ajustamento dos valores a receber será feito de forma automática, depois de confirmadas as condições de acesso, explica o Governo.

Lusa

Continue a ler

Populares