Ligue-se a nós

Atualidade

Arouca: A maior ponte pedonal do mundo abre ao público no dia 3 de maio

Publicado

Foto: Facebook 516 Arouca

A Ponte 516 Arouca vai ser inaugurada no dia 2 de maio, feriado municipal, com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

Entrará em funcionamento no dia seguinte, 3 de maio.

A Ponte 516 Arouca, apontada como a maior estrutura pedonal suspensa do mundo, abre esta quinta-feira a moradores locais e, entre os que já a conheceram em visitas preparatórias, até os mais nervosos a consideram “espetacular”.

Ligando 516 metros de distância entre as margens de Canelas e Alvarenga, o novo equipamento do distrito de Aveiro está seguro por estruturas de betão e aço dispostas 175 metros acima dos rápidos do rio Paiva e integra um tabuleiro em gradil metálico que, além de permeável ao vento, também permite observar em profundidade o cenário sob os pés dos visitantes.

Para Verónica Bernardo, técnica municipal de turismo que foi testando a experiência na nova ponte com pequenas visitas-guiadas prévias, é o ângulo vertical da visão proporcionada através desse quadriculado que mais torna a estrutura “assustadoramente bela”.

“Fruto do meu trabalho [de preparação], já fiz várias vezes a travessia – em condições de chuva miudinha, em condições de nevoeiro, em condições de sol – e é quase como os Passadiços do Paiva: cada um destes momentos é único e vale a pena. Quanto ao nervoso miudinho, existe sempre, ao início, mas depois passa com a espetacularidade da paisagem”, disse à Lusa.

Nesse tour pré-inaugural, Verónica começou por realçar que toda a paisagem em torno da Ponte 516 Arouca está classificada como geoparque e integra a Rede Natura 2000. A estrutura atravessa o vale da Garganta do Paiva e localiza-se junto à Cascata das Aguieiras, cujas águas se abatem sobre um leito fluvial que, por ser granítico, obriga o rio a desvios e curvas particularmente revolutos.

A presidente da autarquia não lhe ouviu os elogios porque só chegou mais tarde. Quando veio cumprimentar o grupo, que então já se encontrava na margem oposta àquela onde a visita começara, todos a viram atravessar a estrutura metálica sobre a Garganta do Paiva em saltos altos, como se nada fosse, de tão habituada que estava ao trajeto após várias visitas técnicas ao local nos últimos meses.

Margarida Belém arfava um pouco após a caminhada ascendente sob 24 graus de sol, mas vinha contente. “Estarmos hoje a atravessar esta ponte e tê-la concluída é um orgulho enorme. Representa o trabalho de uma larga equipa e só foi possível porque estivemos sempre todos muito concertados e fomos ultrapassando juntos todos os obstáculos”, afirmou.

Recordando que o Município avançou com a empreitada de 2,3 milhões de euros antes de saber se essa obteria a devida comparticipação comunitária, como se verificou só mais tarde através do Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos, a autarca socialista atribui o projeto à audácia local – diz que “Arouca é um município de interior já habituado a ser arrojado – e justifica-o também com boas contas – porque iniciar a obra sem financiamento “revela a capacidade financeira do município”.

Inovadora a nível de engenharia e arquitetura por ter recorrido a técnicas concebidas de origem para a especificidade do próprio terreno, a ponte materializada pelo instituto ITeCons e pela construtora Conduril é assim “uma obra icónica, diferenciadora”, que já vem motivando solicitações diversas enquanto “atração não só a nível nacional, mas também internacional”.

A jovem Mariana Duarte já antecipava essa procura e quis garantir um primeiro lugar. Deitada no chão da 516 Arouca, com todo o corpo disposto sobre o gradil, pediu que a fotografassem, fez a devida pose e proclamou: “Assim sou a primeira pessoa a tirar uma foto deitada na ponte. Já que fotos destas não vão faltar, há que ser a primeira!”.

Publicidade

COMENTÁRIOS

Atualidade

Teletrabalho obrigatório até final de maio

Publicado

A ministra da Presidência salientou que nesta fase, enquanto aguarda um novo cenário de níveis de risco e de desconfinamento que está a ser definido pelos peritos, foi decidido que “até ao fim de maio em todo o país o teletrabalho permanece obrigatório”.

A possibilidade de prolongar até ao final deste mês o regime que define que o teletrabalho se mantém obrigatório em todos os concelhos do território continental já tinha sido transmitida esta quarta-feira pelo Governo aos parceiros sociais durante a reunião da Concertação Social.

 

Continue a ler

Populares