Ligue-se a nós

Atualidade

Aprovado ordenado de seis mil euros para bastonário dos Psicólogos

Publicado

Dinheiro 500 euros

A Assembleia de Representantes da Ordem dos Psicólogos Portugueses aprovou, esta quinta-feira, por maioria o ordenado mensal superior a seis mil euros do bastonário, com contestação de alguns membros.

“Este regulamento é lesivo para a Ordem e não reflete a realidade dos psicólogos portugueses, a maior parte precários e a ganharem o ordenado mínimo”, afirmou à Lusa Ana Conduto, membro da assembleia e voz dos contestatários.

O Regulamento Interno de Remunerações dos cargos Executivos Permanentes nos órgãos da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) acabou por ser aprovado por maioria numa assembleia composta por 50 membros e em que faltaram 20, com a direção a afirmar que apenas confirmou uma situação de facto que ocorre há nove anos.

O próprio preâmbulo do regulamento refere que “a Assembleia Representativa aprovou por unanimidade em reunião de julho de 2010 a remuneração dos membros dos órgãos executivos, tendo a remuneração do bastonário sido fixada por referência à remuneração do presidente do Conselho de Reitores e Reitor”, ou seja 6.138,11 euros, “e a dos demais membros num máximo de 70% do valor da remuneração do bastonário”.

Ana Conduto defende ainda que “tem de haver a definição do regime de exclusividade” na Ordem dos Psicólogos e “critérios para definir os ordenados dos restantes membros”, que também não têm regime de exclusividade.

À Lusa, o bastonário Francisco Miranda Rodrigues, afirma que “está a cumprir com o que defendeu e se comprometeu no período eleitoral, tendo sido ulteriormente eleita”.

Publicidade

COMENTÁRIOS

Atualidade

Mãe de menina que morreu na bagageira pode ser acusada de ofensa à integridade física

Publicado

Emergência Ambulância

A mãe da menina que morreu na bagageira, na sequência de um acidente de carro na madrugada de domingo em Cascais, pode vir a ser acusada de pelo menos dois crimes, avança o jornal Sol.

O advogado Rogério Alves disse ao Jornal de Notícias (JN) que a mulher, que era também a condutora do carro, pode ser acusado de “condução perigosa de veículo rodoviário, numa pena que pode ir até três anos de prisão”; e ainda do crime de “ofensa à integridade física com agravação do resultado, o que inclui uma pena que também pode ir até aos três anos de cadeia”.

O acidente aconteceu pelas 0h20 horas de domingo, sendo que no carro estavam oito pessoas, incluindo duas crianças que seguiam na bagageira, uma menina de 10 anos e um rapaz de 13.

De acordo com fonte da GNR, citada pelo JN, o caso “está agora entregue ao Núcleo de Investigação de Acidentes do Destacamento de Trânsito da GNR de Carcavelos”.

Continue a ler

Populares