Ligue-se a nós

Atualidade

António Guterres homenageado com nome gravado em placa de xisto no Museu do Côa

Publicado

O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e antigo primeiro-ministro de Portugal, António Guterres, foi hoje homenageado por ter suspendido a construção da barragem do Côa, para salvaguardar as gravuras rupestres património da humanidade.

O nome de António Guterres está gravado numa placa de xisto, no Museu do Côa, em Vila Nova de Foz Côa por, há 25 anos, ter tomado a decisão de parar a barragem do Côa quando era primeiro-ministro, o que permitiu criar o Parque Arqueológico do Vale do Côa, elevar as gravuras a Património Mundial e construir o Museu.

“É um momento extremamente agradável, sinto-me humilde porque acho que o que se fez é exatamente o que devia ser feito. Acho que não mereço ser homenageado por isso, mas, ao mesmo tempo (estou) satisfeito com esta realidade magnífica que é o Vale do Côa”, partilhou Guterres com os jornalistas, após o descerramento da placa de xisto com o seu nome e perfil, na entrada do auditório do museu que passou a ter o seu nome.

A homenagem foi integrada na sessão comemorativa dos 10 anos do Museu do Côa, em Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda, e dos 25 anos da criação do Ministério da Ciência e Tecnologia (1995-2020).

Na sessão, o presidente da Fundação Côa Parque, Bruno Navarro, destacou que com a decisão histórica e “corajosa”, António Guterres “deu uma lição ao mundo que ainda hoje é saudada e serve de inspiração nas mais diversas latitudes”.

O Museu do Côa começou a ser pensado logo nos primeiros dias da polémica da construção da barragem, no Baixo Côa, em 1995, mas foi apenas após a classificação da Arte do Côa como Património Mundial, em 1998, que o Governo português se comprometeu com a construção de um grande museu.

O primeiro projeto do Museu do Côa (1998) esteve pensado para o local do paredão da barragem do Baixo Côa, entretanto abandonada. Porém, por decisão governamental, o atual museu ganhou corpo em novo local, junto à foz do rio Côa.

O projeto de arquitetura é da autoria da dupla Tiago Pimentel e Camilo Rebelo, muito inspirada na “Land Art”, integrando-se em harmonia na envolvente, quer na volumetria, quer assimilando cores da paisagem e a sua luminosidade

Atualidade

Portugal regista mais três mortes e 157 casos de infeção por covid-19

Publicado

Portugal regista esta segunda-feira mais três mortes pela covid-19 e 157 novos casos de infeção.

Em 24 horas, o número de casos aumentou assim em 0,3%. No total, foram registados desde o início da pandemia 1759 óbitos e foram confirmados 52.825 casos.

Os dados divulgados no boletim epidemiológico diário desta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) apontam ainda que 99 novos casos (63%) foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo. Na mesma região, registaram-se as três vítimas mortais.

Continue a ler

Populares